Os 22,2% de participação da Fiat em 2021 se traduz em 395 mil carros licenciados, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automóveis (Fenabrave), de janeiro a novembro. E nesse total, 100 mil unidades são da picape Strada, que é o automóvel mais vendido do país.

A picape sempre fez sucesso e lidera o segmento de leves há mais de 20 anos, com mais de 1,5 milhão de unidades vendidas. A boa capacidade de carga, aliada com uma suspensão robusta e baixo custo operacional, fizeram dela um sucesso para produtores, frotistas e negócios que exigem transporte de volumes. 

No entanto, com a chegada da segunda geração, em junho de 2020, a picape passou a ser cobiçada também para quem precisa aliar praticidade, espaço e comodidade de um automóvel familiar. 

A Strada é a primeira picape leve que combina quatro portas e cinco lugares. Ela é oferecida em sete versões, duas carrocerias, dois motores e dois tipos de transmissão, partindo da Endurance 1.4 (cabine plus) até chegar na versão topo de linha Ranch 1.3 CVT.

Made in Betim

Ela foi inteiramente desenvolvida no complexo fabril de Betim. Do esboço ao carro finalizado, tudo foi feito nos galpões da planta mineira, o que permitiu que a Fiat ganhasse tempo e também fizesse o carro sob medida para a demanda do consumidor. 

Fiat Strada

“Aprendemos em nossa trajetória que o essencial é a experiência do consumidor. Mais importante do que estar focada em volumes, o que conta é ser importante para o cliente. Quando busca um carro, ele não quer um veículo, mas procura benefícios para sua vida. É isto que temos que entregar”, aponta o responsável por Customer Experience da Stellantis para a América do Sul, Geraldo Barra.

O resultado foi a quebra de seu recorde de vendas, além de atingir com 58,2% de participação no segmento. Isso porque a Strada se tornou a picape cabine dupla mais acessível do mercado. É o carro da família, assim como o carro de trabalho. 

A mais recente novidade para a picape foi a chegada das versões 1.0 turbo 130 cv e 20,4 kgfm de torque, combinadas com transmissão automática, do tipo CVT, que emula sete marchas. O novo conjunto é oferecido nas versões Volcano e Ranch. Elas chegam para atender a demanda por carros automáticos.

Segundo a Fiat, 60% dos carros vendidos nos grandes centros urbanos contam com transmissão automática. Assim, as versões chegam para atender a necessidade de quem precisa combinar não apenas a caçamba com a praticidade das quatro portas, mas também com a comodidade da caixa sem pedal de embreagem.

Argo em alta

O ano de 2021 não foi bom apenas para a Fiat Strada. O hatch Argo também tem registrado grande volume de vendas, com 80.135 unidades, de acordo com a Fenabrave. O Argo foi o precursor da atual família de compactos da Fiat. Ele chegou em 2017 para suceder ao mesmo tempo os modelos Palio, Punto e Bravo.

Fiat Argo

Concorrendo em um dos segmentos mais disputados do mercado, que é o de hatch compactos, o Argo superou seus concorrentes em 2021, mesmo sem ainda contar com versão turbo, o que mostra que o trio de motores 1.0 Firefly, 1.3 Fireflay e 1.8 E-torq é capaz de atender à demanda do mercado. 

Para o responsável por Customer Experience da Stellantis para a América do Sul, Geraldo Barra, o segredo é simples: “Não estamos olhando para o cliente, mas olhando para nossos processos com os olhos do cliente”.

Assim, Strada e Argo figuram na liderança e vice-liderança do mercado em 2021. Juntos, os dois carros somam mais de 180 mil unidades emplacadas. Tudo feito em Betim.

Leia mais:
Especial Fiat: Complexo de Betim é capacitado para desenvolver um carro do início ao fim
Especial Fiat: Marca italiana lança novos modelos e atualiza gama