Principal data do varejo, o Natal deste ano é ainda mais aguardado pelos shoppings. Motivo: o clima de retomada, após a flexibilização das restrições de circulação por causa da Covid. O segmento prevê alta de 16% nas vendas em todo o país em relação a 2020, com injeção de R$ 5,6 bilhões na economia entre 19 e 25 de dezembro. Mas a projeção ainda é 10% inferior a 2019, na pré-pandemia.

O aumento das vendas será consequência direta do maior número de pessoas nos centros de compras. A Pesquisa de Expectativas Natal 2021, da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), prevê que o movimento seja 17% superior ao observado em 2020.

Em Belo Horizonte, as projeções são ainda mais otimistas. Sem revelar a pretensão de faturamento, shoppings da rede Multiplan projetam receber um público 40% maior em relação a 2020. 

É o caso do Diamond Mall, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. “Temos observado um número significativo de clientes com muitas sacolas, o que representa que as pessoas estão dispostas a gastar e presentear. Por isso, as expectativas são as melhores possíveis”, afirma Jucilene Oliveira, superintendente do local. De acordo ela, a procura é maior por eletroeletrônicos, vestuários, joias, brinquedos e chocolates.

Chamariz

Ações promocionais serão um chamariz para os clientes. Os shoppings investiram principalmente em iniciativas do tipo “Ganhe e Concorra” (33%), “Compre e Ganhe” (31%) e Sorteios (28%). Apenas em 8% deles não haverá nenhum tipo de promoção. Carros (51%) e vale-compras (35%) aparecem entre os principais prêmios.

Ações promocionais fazem parte da estratégia do Pátio Savassi, também na região Centro-Sul, para fisgar mais clientes. Haverá sorteio, decoração de Natal com a casa do Papai Noel, musicais, eventos infantis, espaço temático e inauguração de loja. O horário de funcionamento foi estendido até as 23h no período pré-Natal. 

“Até o momento estamos com um crescimento de 25% de fluxo em relação a 2020”, diz Simone Fiorello, superintendente do shopping. Ela acredita que o movimento ainda vá aumentar. Em relação aos empregos temporários, a expectativa é de um incremento de 20% na mão de obra em relação a 2019. As mesmas projeções são esperadas no BH Shopping, também da rede Multiplan.

Segmento prevê injeção de R$ 5,6 bilhões na economia entre 19 e 25 de dezembro. 
Na avaliação do presidente da Abrasce, Glauco Humai, números representam horizonte promissor para 2022

A gerente de marketing do Del Rey, na região da Pampulha, Isabela Moreira, diz ser perceptível o aumento no fluxo de clientes ao longo do ano, conforme a vacinação contra a Covid avançava. “O Natal é uma data muito democrática, que movimenta a maior parte dos nossos lojistas. Temos percebido grande saída de brinquedos, produtos de beleza e cuidados pessoais, chocolates, calçados e artigos esportivos”. 
Gerente de marketing do Shopping Estação BH, em Venda Nova, Letícia Pinho não abre os números sobre faturamento e fluxo, mas define o movimento de fim de ano como prelúdio para 2022. 

“Hoje contamos com mais de 200 operações, dentre lojas e quiosques, e 2021 serviu para consolidar o Estação BH com novas operações chegando nos últimos meses, estimando outras tantas já para o primeiro trimestre de 2022. Isso impacta diretamente a geração de emprego, alimenta a engrenagem econômica e nossas projeções para o ano que vem”, diz.

No cenário nacional, os shoppings também revisaram para cima o volume de trabalhadores temporários contratados pelo setor para o período do fim de ano e registraram um incremento de 11% no quadro atual de funcionários. Estima-se que o setor conte com 100 mil trabalhadores a mais no Natal de 2021 em todo o Brasil.

Na avaliação do presidente da Abrasce, Glauco Humai, após quase dois anos de pandemia, os números deste Natal representam um horizonte promissor para 2022. 

“São previsões muito boas para os shoppings e demonstram que a melhora da pandemia, com o avanço da vacinação, aliada à eficiência na gestão dos empreendimentos, têm possibilitado uma recuperação contínua e cada vez mais robusta”.