O ex-governador do Ceará e atual pré-candidato à presidência, Ciro Gomes (PDT), e seu irmão, o senador Cid Gomes (PDT), foram alvos, na manhã desta quarta-feira (15), de uma operação da Polícia Federal (PF) que apura um suposto desvio de recursos públicos nas obras do estádio Castelão, em Fortaleza (CE), reformado para a Copa do Mundo de 2014 no país.

A operação foi batizada de 'Colosseum", em referência ao Coliseu de Roma, na Itália. A PF cumpriu 14 mandados de busca e apreensão, incluindo nas casas de Cid e Ciro. Segundo a Polícia, as fraudes ocorreram entre 2010 e 2013. Na época, o estado era governado por Cid.

Pelas redes sociais, Ciro Gomes questionou a ação. "Como é que um fato de 2012, uma delação que acontece em 2017 sobre fatos que teriam acontecido e que não me envolvem, porque o próprio delator disse que nunca falou comigo, como é que eu estou envolvido nisso? Qual é a explicação?".

Além das buscas, foi autorizada ainda a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático de Ciro e Cid.

Leia Mais:
Fernando Bezerra Coelho deixa liderança do governo no Senado
Região Centro-Sul de BH ganha reforço policial para reforçar segurança nas compras de Natal