O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) elogiou o governador de Minas, Romeu Zema (NOVO), durante uma entrevista à rádio Jovem Pan, nesta quarta-feira (27). Segundo Bolsonaro, a medida de congelamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em Minas, que passou a valer nessa segunda-feira, foi “exemplo”. 

Zema garantiu o congelamento temporário do ICMS do diesel com o objetivo de reduzir o impacto no valor de bens de consumo primários. Mas, segundo o governo de Minas, o mesmo não pode ser feito com o preço da gasolina e do etanol, principais combustíveis usados pela população. 

Desde o início das manifestações de tanqueiros e caminhoneiros no país, Bolsonaro tem afirmado que a alta do preço do combustível é culpa do imposto. Na última quinta-feira (21), durante a live semanal, o presidente disse que é provável que haja outro aumento no valor do diesel e da gasolina. “Não precisa ser mágico para descobrir que vai ter outro aumento. Basta ver o preço do combustível lá fora e quanto está o dólar aqui dentro. Nós ainda dependemos de importação de diesel, em especial, em torno de 25%, e se não reajustar vai faltar”, explicou.

Leia mais
Congelamento do ICMS não pode ser aplicado à gasolina e ao etanol em Minas, diz Zema; entenda
Bolsonaro diz que Petrobras 'só dá dor de cabeça' e volta a falar em privatização