Um dos modelos em linha de maior longevidade saiu de cena. Adorado por seus proprietários, o Volkswagen Fox passou dessa para melhor. O compacto deixou de ser produzido na unidade paranaense de São José dos Pinhais após 18 anos de mercado.

O cadafalso do compacto já era aguardado há um bom tempo. Mesmo assim ele chegou à linha 2022 com as versões Connect e Extreme. O último exemplar deixou a linha de montagem no dia 29 de setembro. A unidade vermelha da versão Extreme foi registrada por funcionários que posaram para se despedir do hatch. 

Segundo a VW, o Fox sai de linha para liberar espaço para o T-Cross na linha de montagem. O modelo lançado em 2019 chegou à marca de 200 mil unidades produzidas e foi líder do segmento em 2020. 

O SUV foi o quinto modelo mais vendido em setembro, de acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). No acumulado do ano, o T-Cross anota 45.001 unidades licenciadas. Por outro lado, o Fox, que vendeu mais 1,8 milhão de unidades, somou pouco mais de 15 mil emplacamentos. 

“Desde o seu lançamento, em 2003, o Fox foi produzido exclusivamente na fábrica do Paraná e ao longo destes 18 anos se consolidou como um modelo muito querido pelos colaboradores e desejado pelos clientes. O T-Cross segue o mesmo caminho e é motivo de orgulho ver um produto da nossa planta se tornar um sucesso de vendas no Brasil e no exterior”, compara gerente da unidade São José dos Pinhais, Leandro Lemos de Oliveira.

O Fox

O Fox chegou ao mercado em 2003. Com arquitetura que otimizava o espaço interno. O carrinho tinha teto elevado e posição de dirigir mais vertical, seguindo o conceito dos monovolumes. Dessa forma, ele conseguia oferecer espaço interno, mesmo sendo diminuto.

A princípio, sua missão era suceder o Gol. No entanto, ele acabou se posicionando acima do velho guerreiro e se destacou pela derivação aventureira, o CrossFox. A opção ostentava estepe pendurado na tampa do porta-malas, faróis auxiliares e até um discreto quebra-mato.

Com apenas uma geração, o Fox passou por três reestilizações, que se concentraram nos faróis, para-choques, lanternas e capô.

Em sua trajetória, o Fox contou com motores desde 1.0 e 1.6. O modelo também foi equipado com transmissões manual e automatizada. Ele foi o primeiro modelo a ser equipado com motor três cilindros da VW, e também estreou a transmissão manual de seis marchas. 

O carrinho ainda foi responsável pela migração dos módulos elétricos, por sistemas eletrônicos, para controles de funções como faróis, vidros e retrovisores. 

O modelo também foi importado para a Europa, entre 2005 e 2011, onde substituiu o pequenino Lupo. No Velho Mundo ele era vendido com motores 1.2, 1.4 (também utilizado na Kombi) e 1.4 diesel. 

Assista também!