Líder absoluto no segmento de SUVs em 2021, o Jeep Renegade já viu seu reinado ameaçado por muitas vezes. Ele já foi superado por rivais como Honda HR-V, Volkswagen T-Cross e duas vezes pelo irmão Compass. E para se manter à frente, a Stellantis precisou adicionar conteúdo no jipinho.

Testamos a versão Trailhawlk 2021, opção mais sofisticada na gama do Renegade, e consequentemente, a mais cara. Verdade seja dita, o Trailhawk é obscenamente caro. Ele parte de R$ 177 mil. Valor que deveria garantir todos os conteúdos possíveis para ele. Mas a Jeep ainda vende como opcional a central Intelligence Adventure, que acresce outros R$ 2 mil, no boleto do consumidor. 

Pode parecer exagero reclamar do acréscimo de pouco mais de 1% no valor final do carro, mas ao mesmo tempo não custaria nada cortar um “tiquinho” na margem. E para justificar esse pequeno gasto extra, a Jeep adiciona funcionalidades interessantes como acesso remoto, navegador GPS nativo, conexão sem fio para smartphone. O sistema ainda oferece botão de socorro, em caso de acidente e conexão 4G (com assinatura da TIM).

Para quem aprecia passeios onde os asfalto acaba, esses recursos podem parecer supérfluos, mas fato é que o GPS integrado, assim como indicações de roteiros de aventura, são ferramentas bem-vinda para quem deseja se lançar nessas explorações de final de semana. A tecla de socorro também pode ser de grande valia, tanto no asfalto, como fora dele. 

A versão testada ainda conta com teto solar panorâmico, que acresce outros R$ 8,5 mil no preço final. Somado à pintura metálica. Esse SUV, aí da foto, custa nada menos que R$ 189.180.

De resto, é o mesmo Renegade de sempre. O que é muito bom, afinal ele é equipado com motor turbodiesel 2.0 de 170 cv, caixa de nove marchas e tração nas quatro rodas, assim como pneus de uso misto, ganchos nos para-choques e demais apetrechos para quem quer fugir da vida urbana.


Raio-X Jeep Renegade Trailhawk 2.0

O que é?
Utilitário-esportivo (SUV) compacto de cinco lugares.

Onde é feito?
Produzido na unidade de Goiana (PE).

Quanto custa?
Base: R$ 176.990
Testado: R$ 189.180

Com quem concorre?
O Renegade é o único SUV compacto com motor turbodiesel e tração 4x4. O rival mais próximo é o irmão Compass.

No dia a dia
O Renegade Trailhawk é um SUV que se desenvolve tanto na cidade como fora dela. Ele não se difere das demais versões. Além do motor turbodiesel (que também consta nas versões Moab e Limited) ele usa pneus de uso misto, que são mais caros e barulhentos que os demais.

E mesmo sendo um carro com proposta off-road, o modelo oferece muita comodidade e conforto no uso cotidiano. Ele entrega ótimo nível de acabamento, com direito a bancos, painéis de porta, volante e manopla revestidos em couro, assim como material emborrachado na “zona de tato”. Elementos que se tornaram raridade no segmento de SUVs compactos. 

Já o pacote de conteúdos conta com itens como partida e destrava sem chave, direção elétrica, ar-condicionado automático de duas zonas, multimídia (Com Apple CarPlay, Android Auto, USB, Bluetooth e câmera de ré, trio elétrico (vidros, travas e retrovisores elétricos), freio de estacionamento eletrônico, tecla de socorro, sensor de estacionamento traseiro, sete airbags, luzes diurna (DRL) e rodas em liga leve aro 18. 

A versão testada ainda dispõe de 4G embarcado, sistema Jeep Intelligence Adventure, acesso remoto e GPS nativo). O sistema de conectividade é opcional, assim como o teto solar panorâmico, que custa quase R$ 8.490

Motor e transmissão
O motor turbodiesel 2.0 de 170 cv e 35,7 mkgf de torque garante ao Renegade força de sobra para a compacta carcaça. Aliado à transmissão de nove marchas e tração 4X4 e função reduzida (que na verdade é a primeira marcha), seletor de tipo de piso e bloqueio de diferencial, o Renegade é capaz de encarar qualquer tipo de terreno e até mesmo ladeiras urbanas íngremes, onde a grande maioria dos automóveis não consegue vencer.

Como bebe?
O consumo combinado entre urbano, rodoviário e fora de estrada foi de 10,6 km/l.

Suspensão e freios
A versão utiliza suspensão independente nas quatro rodas com acerto para uso fora de estrada, o que penaliza o conforto. Ela é mais alta que nas demais versões, justamente pelo seu perfil off-road e oscila mais que as demais versões. Por outro lado, praticamente ignora lombadas e se a situação exigir, meio-fio também. 

Para facilitar as frenagens, o SUV conta com freios a disco nas quatro rodas, além de controle de partida em rampa (Hill Holder), freio de estacionamento eletrônico, HDC (controle eletrônico de velocidade em descidas), controles de estabilidade (ESC), tração, estabilidade para trailler (com uso de engate Mopar) e anticapotamento.

Palavra final
O Renegade Trailhawk é um carro pensado para o consumidor quem tem dinheiro no bolso, mas não quer (ou não pode) ter um carro para o uso cotidiano e outro para brincar nos finais de semana. Trata-se de um jipinho legal, repleto de conteúdos e tecnologias. Ainda faltam assistentes de condução, que deveriam figurar num carro desse preço. Seu único senão é o preço.