A Lamborghini reeditou o Countach, modelo desenhado por Marcello Gandini e que se tornou a bússola da marca até hoje. Para celebrar os 50 anos da apresentação do protótipo, o lendário Lambo renasceu em tiragem limitada e motorização híbrida.

Batizado de Lamborghini Countach LPI 800-4, o carro foi desenvolvido a partir do Sian, o primeiro supercarro híbrido da marca, com apenas 63 unidades produzidas. Para o Countach serão 112 unidades. Segundo a marca, o volume corresponde ao código do projeto LP-112, que deu origem ao protótipo em 1971.

Quem é familiarizado com a marca do Ferruccio, sabe que LP se refere ao motor montado de posição longitudinal posterior. Os algarismos correspondem à potência do carro e o número 4 após o hífen se refere à tração nas quatro rodas. A diferença entre os demais Lambos está na vogal “I”, que neste caso indica que estamos diante de um modelo híbrido. Em italiano se grafa “ibrido”. Capiche?

Desenho 

O novo Countach é fiel ao desenho do modelo original de 1971. Ele conta com formas retilíneas, assim como seção frontal curta e afilada e um imenso pára-brisas que se afunila até o teto. Os faróis são afilados, mas sem o conjunto escamoteável, que estava na moda há 50 anos. 

“O primeiro Countach está presente no nosso Centro Stile como modelo há alguns anos. Sempre que olho para ele, fico arrepiado e serve como um lembrete perfeito para mim e toda a equipe de design para projetar cada futuro Lamborghini de uma forma visionária e futurista. Esta é uma parte inegociável do nosso DNA, a essência se você assim o fará. O primeiro Countach moldou o DNA do design da Lamborghini como nenhum outro carro; o novo Countach traduz esse caráter não convencional e nervoso para o futuro”, explica Mitja Borkert, Chefe do Centro Stile.

As caixas de rodas geométricas, assim como os coletores traseiros e as entradas laterais que iniciavam nas portas e seguiam até o para-lamas traseiro foram mantidas. A diferença é que no Countach original, o duto era do tipo NACA (em formato triangular utilizado na aviação para coletar ar sem gerar arrasto). 

A traseira arrebitada também segue o desenho do modelo original, assim como os contornos da carroceria. Nas lanternas, mantiveram o desenho geométrico, mas com uma leitura contemporânea.

Motor

Sob o capô, o lambo conta com uma unidade V12 6.5 de 780 cv combinado com módulo 48V montado entre o bloco e a transmissão que entrega outros 34 cv, num combinado de 814 cv e cerca de 78 kgfm de torque. Números que permitem ao Countach acelera de 0 a 100 km/h em 2,5 segundos e atingir a máxima de 355 km/h.

Trata-se do dobro da potência de quando a versão original entrou em linha em 1974. Naquela época, o touro de briga era equipado com um V12 4.0, dotado de seis carburadores Weber 45 de corpo duplo, que entregavam 375 cv a 8 mil giros. Cavalaria que o permitia chegar perto dos 300 km/h. Para a década de 1970, era coisa de ficção científica.

Ficção

O Countach foi um divisor de águas no mercado de supercarros. Até então as linhas dos esportivos eram curvilíneas e a grande maioria ainda apostava em motores dianteiros. Mas as pistas provaram que o máximo de performance demandava motores posteriores. Foi assim como o Miura em 1966 e o Countach definiu em 1971. 

Junto do conceito de engenharia, o carro também fez escola com suas formas retilíneas e com bico afilado que foram copiadas pela Ferrari, já na 308 (de 1974), assim como na Lotus Esprit. Os dois esportivos também empurraram seus motores para atrás dos bancos. Até o DeTomaso Pantera (que foi desenhado por Gadini, em 1971) era um spoiler do Countach. 

Apesar de a Lamborghini ter criado cupês Gran Turismo e até o jipões LM-001 e LM-002, o Countach definiu a forma dos futuros carros da marca. Diablo, Murcielago, Gallardo, Aventador e Huracán, assim como os modelos especiais como Veneno, Egoista (sem acentuação mesmo), Reventon, Sesto Elemento, Centenario, Terzo Millennio, SC18, SC20, assim como o Sian e o Essenza, todos seguem o mesmo padrão, de frente curta afilada e traseira plana. 

As portas do tipo tesoura também são originais do Countach e basicamente estão presentes em quase todos modelos do Diablo em diante, com exceção no Gallardo, Huracán e no SUV Uros, assim como no conceito Estoque.