O mercado de automóveis e comerciais leves registrou alta de quase 200% diante de abril de 2020, segundo balanço da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Em relação a março, no entanto, os emplacamentos encolheram 7,45%.

O percentual elevado sobre os dois períodos de abril, se deve ao fato de que no ano passado, medidas restritivas foram adotadas para conter o avanço da pandemia Covid-19, o que fez com que Detrans e lojas não funcionassem. O total de emplacamentos no mês passado foi de 163.902 unidades, contra 177.097 de março.

 

Mesmo assim, no acumulado do ano, os licenciamentos são 13,34% superiores ao período de janeiro a abril de 2020. Destaque para o segmento de comerciais leves, que registrou crescimento de 42,84% nos quatro primeiros meses deste ano.

Mais vendidos

Mais uma vez a picape Fiat Strada foi o modelo mais vendido do país, com 12.581 unidades licenciadas. No acumulado do ano, a picape soma 41.448 carros emplacados.

O utilitário foi seguido do irmão Mobi, com 6.861 emplacamentos e do Hyundai HB20, que anotou 6.849 unidades. 

O quarto modelo com melhor desempenho foi a picape Fiat Toro, que registrou 6.682 licenciamentos e o Jeep Renegade fecha a lista dos Top 5, com 6.634 carros emplacados. Com o resultado, a Fiat amplia sua liderança de mercado com 20,98% de participação, sendo seguida pela Volkswagen (17,17%) e General Motors (14,46%). 

Vale lembrar que a GM precisou interromper a produção do Onix por 60 dias devido à falta de componentes eletrônicos. Mesmo assim, o compacto licenciou 6.402 unidades em abril e sustenta a vice-liderança do mercado, com 35.160 emplacamentos.

Usados

Se as vendas de carros novos retraíram em relação a março, o mesmo movimento foi anotado no setor de usados. Em abril, as negociações de veículos usados (considerando toda a cadeia, incluindo caminhões, ônibus e duas rodas) totalizaram 1.119.047 unidades. Segundo a Fenabrave, o volume foi 9,61% do que o registrado em março. 

“A grande variação entre abril de 2021 e abril de 2020, assim como no acumulado do ano, é resultante das paralisações dos DETRANs e do fechamento das áreas de vendas, em vários estados, que se deram mais fortemente no ano passado”, justifica o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

Em Minas Gerais o impacto foi ainda maior, com retração de 16,4% sobre março. Ao todo foram negociados 142.181 usados em abril, contra os 170 mil de março.

“Os efeitos dessa segunda onda da pandemia se fizeram sentir no mês de abril, mas acreditamos que a nova flexibilização das medidas e o retorno das atividades do comércio, já anunciadas pela maioria dos governos estaduais, deverão gerar resultados positivos novamente nas próximas semanas. Isso, aliado ao avanço da vacinação por todo o país, deve trazer uma nova onda de confiança aos consumidores”, avalia o presidente da Fenauto, Ilídio dos Santos.

Leia Mais:
Interatividade e conectividade avançam nos veículos; editor do HD Auto comenta
L200 Savana retorna para ser a versão 'barata' da Mitsubishi
Clássicos: 190E Evolution foi a "estrela da morte" da Mercedes-Benz