O príncipe Philip, marido da rainha britânica Elizabeth, do Reino Unido, morreu aos 99 anos, no Castelo de Windsor, informou o Palácio de Buckingham nesta sexta-feira (9). Ele iria completar 100 anos em junho deste ano.

A morte do duque de Edimburgo, como era oficialmente conhecido, foi anunciada por volta de meio-dia, horário de Londres (8h no Brasil), em um comunicado oficial: "É com muito pesar que Sua Majestade, a rainha Elizabeth II, anuncia a morte de seu querido marido, Sua Alteza Real, o príncipe Philip, duque de Edinburgo", disse o Palácio de Buckingham em um comunicado. "[Philip] morreu tranquilamente nesta manhã no Palácio de Windsor. Anúncios subsequentes serão feitos em seu devido tempo. A família real se une ao povo ao redor do mundo no luto por sua perda."

Philip esteve ao lado da rainha ao longo de todos os 69 anos de seu reinado, o mais longo da História do Reino Unido. Durante este período ele ganhou a reputação de ter uma atitude dura, séria e de uma propensão a gafes ocasionais. 

Philip e a rainha, hoje com 94 anos, estavam casados desde 1947, cinco anos antes de ela ser alçada ao trono, com a morte do pai, o rei George VI. Desde então o duque de Edinburgo tornou-se o mais longevo consorte e o homem mais velho da história da monarquia britânica.

A morte de Philip não altera a linha de sucessão ao trono, encabeçada pelo seu filho mais velho com a rainha, o príncipe Charles, de 72 anos, seguido do filho mais velho de Charles com a princesa Diana, o príncipe William, de 38.