Alagamentos, quedas de árvores, deslizamentos ou prejuízos no comércio passam a fazer parte das preocupações dos belo-horizontinos quando se aproxima o período chuvoso. Com o objetivo de contribuir para a busca de soluções estruturais contra enchentes decorrentes das chuvas intensas, 14 vereadores assinaram requerimento apresentado ao Plenário solicitando a criação da Comissão Especial de Estudo sobre Drenagem Urbana. O documento foi publicado na quarta-feira (27/1) e deverá ser decidido assim que iniciadas as reuniões plenárias, em fevereiro. De acordo com o requerimento, entre as soluções a serem estudadas aumento de áreas verdes de contenção e ações de permeabilização do solo. 

São autores do requerimento: Braulio Lara (Novo), Bella Gonçalves (Psol), Ciro Pereira (PTB), Duda Salabert (PDT), Fernanda Pereira Altoé (Novo), Flávia Borja (Avante), Gilson Guimarães (Rede), Iza Lourença (Psol), Léo (PSL), Macaé Evaristo (PT), Marcela Trópia (Novo), Nikolas Ferreira (PRTB), Sônia Lansky da Coletiva (PT) e Wanderley Porto (Patriota).

Braulio Lara, primeiro signatário do documento, explica a relevância do assunto: “A gente sabe das dificuldades que Belo Horizonte vem enfrentando ao longo dos anos, com problemas relativos a enchentes que ocorrem nos períodos de fortes chuvas, principalmente no verão. É necessário discutir estratégias e políticas para livrar a capital mineira de tantas catástrofes que ocorreram nos últimos anos”.

O vereador acredita que a Câmara Municipal de Belo Horizonte tem como obrigação pautar os problemas que afligem a sociedade para que os respectivos Poderes implementem soluções. “Grandes obras de drenagem urbana têm que ser viabilizadas, assim como medidas que não são estruturais que colaboram para a solução do problema, como as de drenagem de água pelo solo”, explica. Ele conclui que o apoio de parlamentares de diversos perfis demonstra uma ampla atenção para a importância do problema.

Criação da comissão

O requerimento para a criação da Comissão Especial de Estudo sobre Drenagem Urbana é deliberado pelo Plenário, o que deve ocorrer em fevereiro. Caso seja aprovada, a comissão será formada a partir da indicação dos líderes de cada bloco parlamentar, e terá cinco membros, conforme o Regimento Interno. A escolha deverá ocorrer em cinco dias contados da aprovação do requerimento que solicitar a constituição da comissão especial.

Recorde de chuvas

Em janeiro de 2020, choveu na cidade 935,2mm, quase três vezes o volume esperado para época (329,1mm). Temporais transformaram ruas e avenidas de bairros como Lourdes e Cidade Jardim em “rios”, com asfaltos destroçados, carros em colisão e lojas com mercadorias danificadas. Naquele mês, 13 pessoas morreram em BH em ocorrências decorrentes do grande volume de chuvas. 

Um ano depois das fortes chuvas que atingiram BH, as cenas voltaram a se repetir no último dia 15, quando vários pontos de alagamento foram registrados na capital mineira. Na Avenida Tereza Cristina, na Região Oeste, a força da água que transbordou do Ribeirão Arrudas arrancou novamente o asfalto de parte da via.

*Com CMBH