Maior empresa brasileira produtora de aço, a Gerdau construiu, ao longo dos últimos anos, fortes laços com a economia e a sociedade mineiras, com quatro usinas siderúrgicas (Barão de Cocais, Divinópolis, Ouro Branco e Sete Lagoas), unidades de mineração em Miguel Burnier (Ouro Preto) e Várzea do Lopes (Itabirito), além da unidade Florestal, com sede em Três Marias, que conta com plantios de eucalipto próprios e de cerca de 500 produtores rurais parceiros, para produção do carvão vegetal utilizado como biorredutor na fabricação de gusa e aço. A companhia possui, ainda, unidades da Comercial Gerdau em várias cidades mineiras. A empresa é responsável, hoje, por 11 mil empregos diretos por aqui, e já pode, tranquilamente, considerar-se protagonista do tricentenário estadual.

Além da geração de postos de trabalho e renda para milhares de famílias, a empresa, que em 2021 completará 120 anos de atuação no país, também se destaca pela atuação em responsabilidade social, por meio do Instituto Gerdau, responsável pela estratégia de atuação social da empresa, com foco em formar empreendedores que gerem mudanças positivas nas comunidades nas áreas de Educação Empreendedora, Habitação e Reciclagem.

Segmento aposta no crescimento econômico sustentado em 2021 e projeta indicadores positivos: vendas internas devem subir mais de 5%

Em 2019, em todo país, foram 64.500 pessoas beneficiadas por meio de um investimento social total de R$ 18,5 milhões em 400 projetos sociais. O número de voluntários atuantes nestes projetos somou 6.400. 

A empresa também tem promovido uma série de apoios às comunidades no combate à pandemia de Covid-19. “Neste momento, a Gerdau tem contribuído ainda com a infraestrutura do sistema de saúde das cidades onde atua, com doações de respiradores, equipamentos de segurança, materiais de limpeza e alimentos, além de desinfecção de áreas públicas, e com reformas de hospitais e unidades de saúde, deixando um legado para as comunidades”, afirma Wendel Gomes, diretor de Mineração e Matérias-Primas.

Formação para empreendedores

Como forma de transformar a estratégia de investimento social em realidade, a Gerdau possui várias iniciativas em andamento e conta com diversos parceiros, como o Sebrae – MG, no Programa de Desenvolvimento Empresarial, na região de Ouro Branco.

Neste programa, os empreendedores recebem capacitações em gestão, por meio de conteúdos como gestão de resultados, financeira, comercial e de recursos humanos e consultoria focada para reduzir os gaps de cada negócio. Ao todo, 67 micro e pequenas empresas foram beneficiadas.

Em Minas, a empresa ainda desenvolve o Programa Gerdau Transforma, projeto autoral com foco no desenvolvimento de empreendedores que já possuem negócios ou ideias. O público é o empreendedor informal ou autônomo, que participa de um curso de curta duração de 30 horas com dez módulos de aprendizagem.

Habitação

Já na área de habitação, outra ação merece destaque: a Gerdau atua na promoção de startups para cumprir uma jornada de aceleração no “Lab Habitação: Inovação e Moradia”. Com destaque para a Arquitetos da Vila – de Belo Horizonte (MG). O negócio de impacto social faz reformas em habitações de comunidades de baixa renda com qualidade, preço justo, possibilidade de financiamento e prazo adequado, melhorando as condições de vida dos moradores a um custo acessível. 

Ações de educação ambiental são destaque entre programas

Dentre as ações da Gerdau voltadas a comunidades nas quais a empresa está inserida, chamam a atenção as iniciativas relacionadas à educação e à proteção ambiental. Uma delas é o Gerdau Germinar, programa que atende seis municípios da região do Alto Paraopeba: Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Itabirito, Moeda, Ouro Branco e Ouro Preto (distrito de Miguel Burnier). Atualmente, o programa é uma das referências nacionais na prática da educação ambiental como instrumento para a sustentabilidade.

Desde 2004, o Gerdau Germinar conta com o Biocentro, espaço exclusivo para a prática da educação ambiental, que desde o início das atividades já recebeu mais de 153 mil estudantes.

Neste ano, o programa completa 30 anos, tendo alcançado a marca de 465 mil beneficiados. Ele inseriu e fortaleceu a educação ambiental nas instituições de ensino público e privado de maneira consistente, alcançando o envolvimento de 100% das escolas da região. Cerca de 27 mil pessoas participaram de cursos e oficinas socioambientais. Anualmente, aproximadamente 6 mil alunos são atendidos. 

Inaugurada em 2019, no Biocentro, a Casa Sustentável é uma casa construída a partir de coprodutos da mineração. Ela apresenta ao público novos conceitos de sustentabilidade aplicados à atividade minerária e ao conceito de economia circular na habitação – um dos territórios de investimento social da Gerdau.

“Com 48m² e sete cômodos, a Casa Sustentável, projeto do arquiteto Gustavo Penna, foi elaborada nos moldes do programa federal Minha Casa, Minha Vida. A tecnologia pioneira, desenvolvida em parceria da Gerdau com o Departamento de Engenharia de Minas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), viabilizou a produção de blocos, argamassa e piso drenante, entre outros produtos de construção com rejeitos de minério de ferro, uma solução que pode transformar a gestão de resíduos da mineração no futuro”, explica o gerente de Sustentabilidade da Gerdau, Francisco de Assis Couto.

Museu

A empresa também é mantenedora do MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal, que em 2019 chegou à marca de um milhão de visitantes. Inaugurado em 2010, o MM Gerdau faz parte do Circuito Liberdade, em Belo Horizonte. Trata-se de um museu de ciência e tecnologia mantido pela Gerdau, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O museu conta a história da mineração e da metalurgia em 44 exposições permanentes. Recebe ainda exposições temporárias, palestras científicas e outras atividades.

Leia também:
Minas 300 anos: líder no setor, Estado faz história na produção do aço

Confira galeria de imagens: