Esporte e inclusão social mobilizam surdoatletas de vários estados do Brasil, até domingo (23), em Pará de Minas, no Centro-Oeste mineiro. As Surdolimpíadas 2019 foram abertas nesta sexta-feira (21) pela primeira-dama Michelle Bolsonaro. Na ocasião, foi anunciada a reinclusão de deficientes auditivos no Bolsa Atleta e parceria para viabilizar sede da Confederação Brasileira de Desportos de Surdos (CBDS).

Além disso, Michelle e o ministro da Cidadania, Osmar Terra, informaramque competidores com deficiência auditiva vão poder contar com uma categoria especial no programa Bolsa Atleta.

Os anúncios foram feitos para 315 surdoatletas de 14 estados em Libras, a linguagem dos sinais. “É com alegria que quero anunciar que conseguimos um lugar, uma sede para a CBDS. Conseguimos, por meio do apoio do presidente da Caixa, o compromisso com as obras do espaço. A sede será na Escola Bilíngue, em Brasília. Acreditamos que essa sede auxiliará no desenvolvimento do esporte entre os surdos", afirmou a primeira-dama.

Michele Bolsonaro e Osmar Terra

Michelle Bolsonaro e Osmar Terra em Pará de Minas

Interação social

Michelle Bolsonaro definiu o esporte como um caminho para integrar saúde, amizade, respeito, disciplina, solidariedade e paz. "Para a comunidade surda, tenho certeza de que valores fundamentais têm sido agregados, como união, interação social e a superação. Olhando para vocês, prontos para uma série de competições, fico imaginando o que passaram, as dificuldades e barreiras. Eu me coloco em seus lugares e me emociono", disse.

O ministro Osmar Terra ressaltou que o objetivo é investir ainda mais no setor para os próximos anos, valorizando e incluindo o atleta surdo. "Queremos que essa Surdolimpíada tenha milhares de participantes num futuro próximo. Vamos trabalhar para ter cada vez mais gente participando e cada vez valorizar mais o surdoatleta, inclusive com a Bolsa Atleta. Vamos fazer uma linha especial. E aí vai depender de vocês terem o ranking para receber", afirmou Osmar Terra.

Até domingo, as competições das Surdolimpíadas vão ocupar quatro sedes esportivas em Pará de Minas, em disputas de atletismo, atletismo, badminton, basquete, futebol, handebol, judô, caratê, natação, tênis de mesa, vôlei e xadrez. 

Para dar suporte ao evento, a Secretaria Especial do Esporte celebrou um termo de fomento com a CBDS, no valor de R$ 130 mil. Os recursos vieram a partir de uma emenda parlamentar.

(*) Com Agência Brasil