Os airbags defeituosos da Takata continuam dando dores de cabeça mundo afora. A mais recente convocação é da Toyota e envolve quase meio milhão de unidades vendidas no mercado brasileiro. 

Nesse novo chamamento são exatas 379 mil unidades de seis modelos: Corolla, Fielder, Etios, Etios Sedan, Hilux e SW4, envolvendo automóveis fabricados entre 2002 e 2017.

No caso dos compactos, a ação envolve unidades fabricadas entre janeiro e setembro de 2017. Já no caso da Hilux e SW4, são convocadas unidades produzidas entre janeiro e setembro de 2015.

Para a finada perua Fielder, deverão comparecer à rede autorizada unidades manufaturadas entre 2004 e 2008. No caso do Corolla, a ação envolve as três últimas gerações do modelo, com períodos de produção entre 2002 a 2008 e de 2014 a 2017. 

O problema
O defeito das bolsas da Takata é mais que conhecido. O problema está no recipiente que acomoda a bolsa de ar. Essa peça de metal tende a se deteriorar com o passar do tempo. E caso a bolsa se deflagre numa colisão, a expansão do airbag provoca o estilhaçamento do invólucro e os fragmentos são disparados contra o motorista ou passageiro da frente. 

Ao redor do mundo já foram notificadas diversas mortes por causa dos ferimentos provados pelos estilhaços. No Brasil, o primeiro caso ocorreu no ano passado, ampliando os ferimentos da vítima, que felizmente não morreu.

A troca
Segundo a Toyota, a substituição da bolsa defeituosa leva entre 1h30 e cinco horas, dependendo do modelo. Informações: 0800 703 0206 ou toyota.com.br.