As pesquisas Datafolha e Ibope divulgadas na noite deste sábado (6), véspera das eleições, apontam que os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) devem disputar o segundo turno do pleito presidencial. Segundo o Datafolha, o ex-militar tem 40% das intenções de votos válidos, enquanto o petista marcou 25%. Já o Ibope mostra Bolsonaro com 41% e Haddad com 25%.

Para vencer no primeiro turno é necessário somar 50% mais um dos votos válidos, considerados aqueles que excluem os brancos, nulos e indecisos. Na simulação do segundo turno do Datafolha, Bolsonaro e Haddad estão tecnicamente empatados, respectivamente com 45% e 43%. No Ibope, o empate se repete, no limite da margem de erro (de dois pontos para mais ou para menos), tendo Bolsonaro 45% e Haddad, 41%.

Em terceiro lugar, Ciro Gomes (PDT) aparece com 15% no Datafolha e 13% no Ibope. Em um eventual segundo turno contra Bolsonaro, o cenário de empate técnico no limite da margem de erro se repete: para o Datafolha, Bolsonaro teria 47% e Ciro, 43%; para o Ibope, Ciro sai na frente com 45% e Bolsonaro marca 41%.

Segundo o Datafolha, em comparação com a última pesquisa, Bolsonaro oscilou um ponto percentual para cima e Haddad manteve a mesma marca. Já Ciro oscilou dois pontos para cima, abrindo distância com relação a Geraldo Alckmin (PSDB), que aparece em quarto lugar, com 8%. No Ibope, Bolsonaro e Ciro subiram três pontos percentuais cada e Haddad oscilou positivamente em dois. 

O Datafolha mostra, ainda, a ex-senadora Marina Silva (Rede) e o ex-banqueiro João Amoêdo (Novo) com 3% cada; o ex-senador Alvaro Dias (Podemos) e o ex-ministro Henrique Meirelles com 2%; e Guilherme Boulos (PSOL) e Cabo Daciolo (Patriota) com 1%. O cenário é praticamente igual para o Ibope, com exceção de Daciolo, que teria 2%, e de Boulos, que não chegou a pontuar.