O candidato pelo PSDB João Leite venceria o primeiro e segundo turno das eleições para a prefeitura de BH, conforme pesquisa Ibope divulgada ontem. No primeiro turno, o tucano assumiria a PBH com margem de 11 pontos sobre Alexandre Kalil, com 33% a 22%. Os eleitores que votariam em branco, nulo ou que ainda não se decidiram somam 21%, indicando que o cenário ainda pode mudar.

No segundo turno, a diferença entre os candidatos mais aceitos pela população seria ainda maior, com distância de 15 pontos. João Leite, segundo a pesquisa, teria 44% das intenções de voto e o ex-dirigente do Atlético 29%. Votos nulos (18%) e eleitores que não souberam responder (9%) somam 27 pontos. A margem de erro é de 5% para mais ou para menos.

João Leite, que começou a disputa com 21%, conforme a primeira pesquisa Ibope, divulgada em 22 de agosto, saltou 7 pontos percentuais desde então, passando de 21% para 33%. O segundo colocado dobrou o índice, saltando de 11% para 22%.

Posições

Luís Tibé (PTdoB) perdeu pontos com os eleitores, caindo de 6% das intenções de votos para 5%. Apesar da retração, ele se mantém em terceiro lugar na corrida eleitoral. 

Em quarto, assume Délio Malheiros (PSD), que antes tinha 3% dos votos e agora tem 4%. Ao lado dele, está Eros Biondini (Pros) com a mesma marca.

Sem se mexer na tabela, Reginaldo Lopes (PT) aparece em seguida. O petista continua com os 3% apurados na última pesquisa e foi alcançado por Rodrigo Pacheco (PMDB), que tinha 2% das intenções. Marcelo Álvaro (PR) também mantém os 2% que tinha.

Maria da Consolação (Psol), Sargento Rodrigues (PDT) e Vanessa Portugal (PSTU) têm 1% das intenções de voto cada. Todos perderam posição desde a publicação do levantamento divulgado 22 de agosto. A maior queda foi de Vanessa Portugal (PSTU), que chegou a acumular 5%. 

Candidatos articulam parceria para rodada final

Com a polarização da disputa pela prefeitura de BH entre o tucano João Leite e Alexandre Kalil (PHS), alguns candidatos que não decolaram nas pesquisas começam a ser sondados para eventuais apoios em um possível 2º turno.

Luís Tibé (PTdoB), Sargento Rodrigues (PDT) e Eros Biondini (PROS), que não conseguiram alcançar os dois dígitos nas pesquisas, seriam os alvos preferenciais do PSDB para um apoio a João Leite, até mesmo antes do dia 2 de outubro, quando será realizado o primeiro turno. Se conseguissem transferir os votos úteis ao tucano, poderia ser possível que a eleição fosse resolvida no primeiro turno. 

No entanto, fontes ouvidas pelo Hoje em Dia garantem que nenhum dos três estaria disposto a abrir mão da candidatura antes de terem os votos dos eleitores, para aferirem nas urnas a representatividade que cada um alcançou.

Já Alexandre Kalil afirma que é preciso aguardar o resultado do primeiro turno. “Ainda está cedo para falarmos disso (apoios no segundo turno). Vamos esperar o dia 2. Estamos caminhando firme”, afirmou.

Alvo

Para fortalecer a campanha, Kalil busca ainda apoio em outra frente, como a principal cabo eleitoral do partido do vice Paulo Lamac, a ex-senadora Marina Silva. Ontem, em debate na Fumec, Lamac foi alvo direto de questões embaraçosas, direcionadas a Kalil. Ele foi questionado em relação a pendências tributárias do parceiro.

Outro candidato que busca apoio é Rodrigo Pacheco (PMDB). Na última terça, o deputado federal se encontrou em Brasília com o presidente Michel Temer e o vice-governador de Minas Gerais e presidente do partido no Estado, Antônio Andrade. Pacheco acredita que, por ser do mesmo partido de Temer, poderá trazer recursos do governo federal para Belo Horizonte.