Quem passa pela avenida do Contorno, esquina com a Nossa Senhora do Carmo, percebe mudanças no comércio. Placas que anunciam a expansão do Pátio Savassi estão instaladas, criando expectativa na clientela.

Já a Confeitaria Momo, que por 15 anos esteve na vizinhança, desistiu do ponto por causa do valor do aluguel e resolveu focar nas quatro unidades em sedes próprias. Até o final de 2017, o investimento chegará a R$ 2 milhões.

Voltado para o público A/B, o Pátio Savassi desconhece a crise e vai abrir novas lojas. Administradora do mall, a Multiplan faz mistério e não revela investimentos ou marcas que ali irão se instalar. 

Planejamento

Mas não é de hoje que a empresa planeja expandir o shopping. Os apartamentos de um prédio antigo da rua Lavras começaram a ser comprados ainda em 2008. Em 2012, a última unidade teria sido vendida, abrindo caminho para aumentar o mall

Quem também teve o espaço ampliado foi a Confeitaria Momo da avenida Prudente de Morais. A loja passou de 80 para 300 metros quadrados. “Fechamos a unidade da Savassi por causa do preço exorbitante do aluguel. No outro dia, inauguramos a ampliação na unidade da Cidade Jardim”, conta o proprietário Henrique Guerra.

Todos os 50 funcionários da antiga loja foram remanejados para a nova, que recebeu recursos da ordem de R$ 500 mil. A matriz, na rua Pouso Alegre, na Floresta, também ganhou R$ 500 mil para ficar maior e mais moderna. A intenção foi engordar a venda de salgados e doces com a instalação de um restaurante. 

Segundo Guerra, o próximo passo é deixar a padaria Colombina, também do grupo, nos padrões das demais lojas. O local fica na rua Itajubá. “O setor de alimentação sofre menos com a crise”, diz Guerra, que pertence à segunda geração da família que criou a Momo. A outra empresa da rede fica no Buritis.