No mês que completa um ano do primeiro embarque de minério de ferro do projeto Minas-Rio, da Anglo American já pisa no freio. Essa semana a mineradora colocou 200 trabalhadores em férias coletivas em Conceição do Mato Dentro, dispensou outros 40 profissionais terceirizados, e suspendeu a contratação de mais 35 funcionários.

Além do ambiente de preços adverso para o minério de ferro, novas dificuldades na área ambiental também pesam em desfavor da companhia. A Anglo American pleiteia junto ao órgão ambiental estadual uma licença para a chamada Fase III do empreendimento, e apesar de não resultar em ganho de capacidade é essencial para a segurança operacional das minas.

Em nota, a Anglo American informou que as medidas são parte de uma readequação interna. “A medida é parte de uma estratégia de ajuste de custo e adequações operacionais da Minério de Ferro Brasil face à realidade do cenário atual do mercado de minério de ferro. A produção no primeiro semestre deste ano foi de 3 milhões de toneladas. A Anglo American esclarece que as férias foram definidas de forma a não impactar o nível de produção atual do Sistema Minas-Rio”.

Como parte do processo de licenciamento, a Prefeitura deve emitir uma certidão que ateste a conformidade do empreendimento com a legislação ambiental do município. Um primeiro parecer emitido em 30 de setembro foi negativo para a empresa. A administração municipal entende que a Anglo American não cumpriu com compromissos assumidos anteriormente com a cidade e registrados nos processos de licenciamento.

Para o secretário de Meio Ambiente de Conceição do Mato Dentro, Sandro Lage, a mineradora coloca os trabalhadores de férias para pressionar pela certidão de conformidade. “Esse pé no freio eles vem anunciando já há algum tempo, mas agora alegam que a certidão é uma das motivações para isso”, disse.

Ele adiantou teve tratativas essa semana com a empresa, que se comprometeu a honrar com os compromissos assumidos. Esse acordo deverá resultar na emissão de uma nova certidão de conformidade, desta vez atendendo aos anseios da empresa. A mineradora informou que “cumpriu e está cumprindo dentro do prazo todos os compromissos e condicionantes previstos em seu licenciamento ambiental”.

De janeiro a setembro deste ano o Minas-Rio exportou US$ 240 milhões, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, e Comércio Exterior (Mdic). Em igual intervalo do ano passado o volume embarcado foi irrisório. O preço minério hoje está em torno de US$ 55 a tonelada.