O senador e ex-governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), afirmou nesta sexta-feira (14) que, durante seu governo, a recomendação à Polícia Militar era para que se evitasse o uso da violência. Na última quarta-feira (12), várias pessoas ficaram feridas após confronto, na rua da Bahia, entre policiais militares e manifestantes que protestavam contra o aumento do preço da passagem de ônibus.
 
"Sempre tive muito respeito pela PM e à técnica dela na época em que o coronel Santana (Márcio) era comandante-geral que dava todas as orientações. O que nunca gostamos, que foi a recomendação não só naquele episódio (Copa das Confederações), como em todo meu governo, é que se evitasse a violência, por qualquer uma das partes", afirmou o senador, que participou nesta sexta-feira do lançamento da campanha de filiação ao PSDB, em Belo Horizonte.
 
Ao jornal O Tempo, o tenente-coronel Gianfranco Caiafa, comandante do Batalhão de Choque, lembrou nos protestos realizados durante a Copa das Confederações, em 2013, a corporação foi cobrada por não agir contra os vândalos que depredaram bancos e concessionárias porque o governador Anastasia havia dado ordem de não usar força.
 
Protesto
 
Na manifestação de quarta-feira, 60 manifestantes foram presos e houve feridos após confronto entre os ativistas e a PM. De acordo tenente-coronel, que comandou a ação policial, a ordem atualmente é de impedir que qualquer protesto obstrua totalmente as vias, mesmo que, para isso, seja necessário empregar a força.
 
“Tentaremos negociar, caso haja fechamento de via. A sociedade tem que definir o que quer, estou atendendo a um clamor público e trabalhando dentro da lei”, afirma o policial.
 
Novo protesto convocado pelos movimentos Tarifa Zero e Passe Livre está previsto para ocorrer nesta sexta-feira, a partir das 17h, na Praça 7.