A jornalista Maria Júlia Coutinho, a “Maju”, apresentadora da previsão do tempo no "Jornal Nacional" (Globo), respondeu, pelas redes sociais, aos ataques racistas que recebeu nesta semana e chamou o momento de “tempestade de burrice”.

Com um linguajar poético e alusivo ao cargo que ocupa desde abril no “JN”, Maju também agradeceu aos admiradores pelo apoio que recebeu para encarar a situação: “Recebi uma chuva de amor, rajadas de solidariedade me ajudaram a ficar de pé e raios de carinho me aqueceram. Que tempo bom! (aqui essa expressão cabe kkk).”

Na base da elegância, a jornalista frisou ainda que a “militância” dela é fazendo o trabalho que lhe cabe “bem feito”. “Sem esmorecer, nem perder a serenidade. Os preconceituosos ladram, mas a caravana passa. Beijos”.

Entre as milhares de comentários de apoio no perfil de Maju e do JN, há depoimentos como de um neto, escrevendo em nome do avô: “Olá eu sou Rafael, meu avô Afonso tem 68 anos assiste jornal nacional todo dia, e pediu para deixar um recado para você Maju, essas foram as palavras dele. 'Na verdade jornal nacional estava um pouco sem graça, Maju entrou e deu brilho, a pessoa não basta saber falar tem que ter a graça e você tem'. Os comentários também trazem questionamentos como: “Qual o motivo de tanto ódio?”.


Entenda o caso

Na última quinta-feira (2), a jornalista recebeu centenas de comentários preconceituosos na página oficial do JN, no Facebook, a maioria xingava Maju e debochava a cor da pele da jornalista. Os comentários já foram tirados do ar.

“Agora basta. As medidas legais já estão sendo tomadas”, escreveu, encerrando o comentário publicado neste sábado. Em menos de três horas, o post recebeu mais de 14 mil curtidas e quase 600 comentários. A investigação sobre as postagens preconceituosas vai usar como prova os prints dos comentários.

Na sexta-feira (3), a “moça do tempo” também se pronunciou sobre o assunto no jornal da emissora em que trabalha: “Muita gente imaginou que eu estaria chorando pelos corredores. Mas a verdade é o seguinte, gente. Eu já lido com essa questão do preconceito desde que eu me entendo por gente. Claro que eu fico muito indignada, triste com isso, mas eu não esmoreço, não perco o ânimo, que é o mais importante. Eu cresci em uma família muito consciente, de pais militantes, que sempre me orientaram”.

O JN também publicou na página no Facebook, um vídeo com os apresentadores William Bonner e Renata Vasconcellos e toda a equipe do jornalístico mostrando apoio à colega. Eles lançaram a hashtag "#SomosTodosMaju", que já está sendo replicada nas redes sociais.

Em dezembro de 2014, a jornalista passou a informar a previsão do tempo na Rede Globo no informativo Hora 1 e, desde de 27 de abril, de 2015, está no “horário nobre” do Jornal Nacional.