A Justiça julgou improcedente o pedido de indenização contra o Estado feito por familiares de Eloá Pimentel, assassinada em 2008 pelo ex-namorado Lindemberg Alves, em Santo André. Segundo a família, os policiais no comando da ação fizeram um trabalho "atabalhoado", que contribuiu para a morte.

O juiz Luiz Fernando Rodrigues Guerra, da 5ª Vara da Fazenda Pública, entendeu, no entanto, que Lindemberg "sempre deixou clara sua intenção de matar Eloá". A defesa anunciou que vai recorrer.



As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.