Ocorreu, na tarde desta terça-feira (23) o voo inaugural da Sora-e, primeira aeronave elétrica tripulada da América Latina. O voo durou 15 minutos e foi considerado um sucesso, entrando para a história do Brasil e do Paraguai.

O modelo pode levar duas pessoas (piloto e passageiro) e tem autonomia de 45 minutos de voo, expansível para uma hora e meia, com velocidade máxima de 340 km/h. Ele decolou da pista do aeroporto de Itaipu, já na margem paraguaia.

O avião foi certificado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Ele foi desenvolvido pela Itaipu Binacional, em parceria com a ACS Aviation, de São José dos Campos (SP), e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

A decolagem aconteceu às 14h28, na pista do aeroporto da Itaipu Binacional, localizado na margem paraguaia da usina, no município de Hernandarias. A aeronave sobrevoou o entorno do reservatório da usina Itaipu e quebrou uma roda do trem de pouso na aterrissagem, que ainda assim ocorreu sem problemas.

Custo

A estrutura da aeronave é de fibra de carbono e ela pesa cerca de 400 quilos, contando com baterias de íon polímero de lítio que totalizam 400 volts e dois propulsores de 35 kw cada um. O investimento da Itaipu foi de R$ 900 mil, a maior parte financiada pela Finep.

O avião elétrico ainda não foi homologado, mas já é produzido em série usando combustíveis fósseis. Agora a meta é melhorar a bateria, para que dure mais e o avião obtenha maior velocidade.