Cerca de 200 imigrantes e a polícia fronteiriça da França entraram no quarto dia de tensões, com o grupo se recusando a sair da fronteira da Itália com a França no Mar Mediterrâneo, na esperança de continuar sua viagem para o norte da Europa.

Os imigrantes, a maioria do Sudão, Líbia e Eritreia, passaram novamente a noite nas pedras do Mar Mediterrâneo, na cidade fronteiriça de Ventimiglia, localizada a alguns quilômetros dos resorts da Riviera Francesa. O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, disse que reforçou os controles da fronteira nas últimas semanas devido ao aumento do fluxo de imigrantes.

A Itália deve abordar a questão em uma reunião entre ministros do Interior da União Europeia (UE) na quinta-feira (18), em Luxemburgo. O ministro do Interior da Itália, Angelino Alfano, chamou o problema em Ventimiglia de "um tapa na cara da Europa", e pediu que os países da UE aceitem os refugiados, já que a maioria deles não quer ficar na Itália.

Fonte: Associated Press.