Investigadores do acidente de trem da empresa pública Amtrak, na Filadélfia, disseram nesta quarta-feira (10) que o maquinista, Brandon Bostian, não estava usando o celular nos momentos antes do trem ter descarrilado, no mês passado, o que aprofunda ainda mais o mistério sobre o que causou o acidente.

No descarrilamento, que ocorreu no dia 12 de maio, oito pessoas morreram e cerca de 200 ficaram feridas. O trem estava a 170 quilômetros por hora no último minuto antes do acidente, em um local onde o limite é de 80 quilômetros por hora, e logo em seguida começou a desacelerar, mas descarrilou quando estava a 160 quilômetros por hora.

O Comitê Nacional de Segurança nos Transportes dos Estados Unidos informou em um novo relatório que os registros do celular "não indicam qualquer chamada, mensagem de texto ou uso de dados durante o tempo em que o maquinista estava operando o trem". A agência disse também que Bostian não acessou o sistema Wi-Fi no trem.

Os investigadores do acidente disseram anteriormente que não encontraram qualquer problemas mecânicos com o trem. A pista tinha sido inspecionada também pouco tempo antes do acidente. Fonte: Associated Press.