Morreu na madrugada desta quinta-feira (28) o alemão Markus Muller, 51, vítima de queimaduras em consequência da explosão que destruiu o apartamento onde morava, em São Conrado, na zona sul do Rio, no último dia 18. Muller estava internado no Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Pedro II, em Santa Cruz, na zona oeste. Com lesões em metade do corpo, ele não resistiu à gravidade dos ferimentos.

A explosão

Na quarta-feira (27) a polícia concluiu que a explosão que destruiu no dia 18 parcialmente quatro apartamentos e provocou danos nos outros 72 do Edifício Canoas foi causada por erro na instalação de uma peça da rede de gás de cozinha do apartamento 1001. A principal hipótese é de que o reparo tenha sido feito pelo próprio Markus Muller.

Os investigadores descartaram as hipóteses de tentativas de suicídio ou de homicídio. Imagens da câmera de segurança de um elevador mostram Muller, no dia anterior à explosão, com duas peças semelhantes ao rabicho mal instalado.

Segundo peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (Icce), da Polícia Civil, o objeto, usado para ligar a tubulação a aparelhos domésticos, geralmente fogões, era novo. Uma fita colocada em sua base, que deveria estar danificada com o movimento de acoplagem à tubulação, estava praticamente intacta, conforme a perícia.