No Dia Nacional de Controle da Asma, celebrado nesta quinta-feira (21), o Ministério da Saúde comemora o aumento em 30% na distribuição gratuita de medicamentos para a prevenção desta doença crônica. De acordo com a Agência de Saúde, mais de 30 mil pessoas retiraram os remédios nas farmácias populares desde o último dia 4, quando o Governo Federal passou oferecê-los gratuitamente, por meio do programa Saúde Não tem Preço.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, entre os dias 4 e 18 de junho, 31.176 pessoas retiraram os antiasmáticos das farmácias populares. A pasta afirma que a retirada representa aumento de 30% na procura pelos remédios, uma vez que nos 15 dias que antecederam o início da gratuidade, 24.344 cidadãos haviam comprado os medicamentos com até 90% de desconto nas farmácias.

Até o dia 4, o Governo Federal arcava com 90% do custo do tratamento e os consumidores com os outros 10%. Desde que os remédios passaram a ser 100% pagos pelo País, alguns Estados registraram o aumento do número de pacientes que retiraram medicamentos, afirma o Ministério. No Rio Grande do Sul, por exemplo, o aumento de beneficiados chegou a 64%, valor que representa 8,7 mil moradores do Estado, de acordo com informações divulgadas pela Agência de Saúde.

A ação também integra o programa Brasil Carinhoso, lançado em maio pela presidente Dilma Rousseff, cujo objetivo é tirar da miséria crianças de 0 a 6 anos de idade. A asma está entre as principais causas de internação entre crianças nesta faixa etária, afirma o Ministério da Saúde.

Cerca de 2,5 mil pessoas morrem por ano por causa da asma, afirma a Agência. "Este é mais um passo do Governo Federal para garantir acesso universal à saúde, priorizando um programa de alto impacto principalmente na população infantil", afirma o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha.

Hipertensão e diabetes

O programa Saúde Não Tem Preço também distribui gratuitamente nas farmácias populares medicamentos para hipertensão e diabetes, segundo a Agência de Saúde. Desde o lançamento do programa, em fevereiro de 2011, o número de consumidores que retiraram os medicamentos quadruplicou. A gratuidade deve beneficiar até 800 mil pacientes por ano. Atualmente, o programa Farmácia Popular atende 200 mil pessoas que adquirem medicamentos para o tratamento da doença. As informações são da Agencia Saúde.