O candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, morreu na manhã desta quarta-feira (13) quando o avião em que voava com assessores caiu sobre um prédio em Santos (SP). Campos tinha 49 anos e estava em terceiro lugar na corrida presidencial. Tinha 8% das intenções de voto, de acordo com o Datafolha. Ex-governador de Pernambuco e ex-ministro de Ciência e Tecnologia do governo Lula, era considerado um dos políticos mais promissores de sua geração.

A ex-senadora Marina Silva (PSB), candidata a vice-presidente, é a cotada para assumir seu lugar na cabeça da chapa. O partido terá dez dias para decidir e anunciar a substituição. A presidente Dilma Rousseff, que disputa a reeleição pelo PT, e o candidato do PSDB, Aécio Neves, cancelaram suas agendas ao receber a notícia. 

Aeronave cai sobre casa em Santos na manhã desta quarta-feira
Local da queda da aeronave (Foto: Reprodução Facebook)

As causas do acidente ainda não foram confirmadas pela Aeronáutica. O avião Cessna 560 XL, prefixo PR-AFA, voava do aeroporto Santos Dumont, no Rio, para a base aérea do Guarujá (SP). Campos teria três compromissos de campanha em Santos. 

Além do presidenciável, estavam a bordo quatro assessores: Alexandre Severo (fotógrafo oficial da campanha), Marcelo Lira (cinegrafista), Pedro Valadares (ex-deputado e assessor do candidato) e Carlos Percol (assessor de imprensa). Também morreram o piloto e o copiloto da aeronave. 

Confira galeria de imagens:

ACIDENTE 

A aeronave teria partido do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino a Santos (SP). O acidente aconteceu na rua Vahia de Abreu, no bairro do Boqueirão, região central de Santos. A fiação de todas as vias da região foram desenergizadas para facilitar o trabalho de resgate e rescaldo do incêndio provocado pela queda do avião.

Segundo a FAB (Força Aérea Brasileira), perto das 9h50, o piloto da aeronave informou que tinha pouca visibilidade para pousar no Guarujá e arremeteu a aeronave. Logo após, a torre perdeu contato com o avião -que tem capacidade para 12 pessoas, em configuração padrão. 

O avião saiu do Rio de Janeiro em um jatinho Cessna 560XL Citation às 9h30, com destino ao Guarujá, cidade vizinha de Santos no litoral paulista. Campos cumpriria agenda em Santos com sua candidata a vice, Marina Silva (PSB).  Segundo o presidente do PSB-SP, Márcio França, que aguardava Campos na base aérea do Guarujá, a aeronave arremeteu.

"Perdemos contato com o avião depois disso", afirmou França. Depois disso, durante cerca de uma hora, houve uma troca
incessante de telefonemas entre integrantes da campanha, jornalistas e autoridades aeronáuticas para tentar localizar Campos. 

Confira vídeo postados por internautas:


 

NETO DE ARRAES 

Campos morre num 13 de agosto, mesmo dia em que o avô, Miguel Arraes, faleceu em 2005, aos 88 anos. Perseguido pela ditadura militar, que o afastou do governo de Pernambuco após o golpe de 1964, Arraes lançou o neto na política na década de 1980. 

O avião caiu sobre um prédio na rua Vahia de Abreu, no bairro do Boqueirão, região central de Santos. Sete pessoas que não estavam a bordo ficaram feridas e foram encaminhadas para um hospital da região. 

Eduardo Campos deixa a mulher, a economista Renata Campos, e cinco filhos: Maria Eduarda, João Henrique, Pedro Henrique, José Henrique e Miguel, que nasceu no começo de 2014. 

Ele era filho de Ana Arraes, ministra do TCU (Tribunal de Contas da União), e do escritor Maximiano Campos (1941-1998). 

Confira galeria de campanha de Eduardo Campos:

MARINA 

A ex-senadora Marina Silva, candidata a vice na chapa de Campos, estava nesta terça (12) no Rio e embarcaria esta quarta no avião que caiu ao tentar pousar no Guarujá (SP). Na última hora, Marina mudou a rota e decidiu embarcar em um avião de carreira com assessores. 

Reunida com políticos da Rede e pessoas próximas, Marina decidiu ir até Santos onde fará um pronunciamento. Ela ficou em estado de choque ao saber da notícia. Marina, que estava em sua casa na cidade de São Paulo, reunida com políticos da Rede e pessoas próximas. A ex-senadora está a caminho de Santos com ex-deputado Walter Feldman, onde fará pronunciamento. 

Políticos e parlamentares aguardavam por Campos no Guarujá, mas ele não apareceu, e nenhum de seus telefones respondia aos chamados. Pela rota do avião, do Rio até o Guarujá, tudo indicava que ele estava entre as vítimas do acidente. 

Campos era casado com a economista e auditora licenciada do Tribunal de Contas de Pernambuco Renata Campos, com quem teve cinco filhos -Maria Eduarda, João Henrique, Pedro Henrique, José Henrique e Miguel, que nasceu no começo de 2014. O romance entre Campos e Renata começou ainda na adolescência, quando ele tinha 15 anos e ela, 13, no Recife (PE). 

(*) Com agências Estadão Conteúdo e Folhapress