PEQUIM, 16 Ago 2012 (AFP) - Um monge tibetano que ateou fogo em seu próprio corpo nesta semana em uma cidade do sudoeste da China morreu, anunciou um grupo de tibetanos exilados nesta quinta-feira (15).

O homem, de nome Tashi e de cerca de 20 anos, morreu na terça-feira (14), um dia após atear fogo junto com outro monge, segundo o Centro Tibetano para os Direitos Humanos e a Democracia, com sede na Índia.

O outro monge, chamado de Langtag, morreu na própria segunda-feira (13)após o protesto no distrito de Aba, na província de Sichuan, que depois desencadeou confrontos entre residentes e policiais.

Os dois monges eram do monastério de Kirti, rodeado por um forte dispositivo de segurança desde que outro religioso se imolou, em março de 2011.

Desde então, cerca de 50 tibetanos, em sua maioria monges e monjas, se imolaram com fogo para protestar contra a repressão religiosa que dizem sofrer das autoridades chinesas.