PEQUIM - Um incêndio em um abatedouro no Nordeste da China provocou a morte nesta segunda-feira (3) de pelo menos 119 pessoas, no incidente mais grave do tipo em 12 anos no país, que registra acidentes industriais com frequência.

"Mais de 300 trabalhadores estavam no abatedouro no momento do incêndio em uma unidade de Dehui, na província de Jilin", informou a agência oficial oficial Xinhua.

As equipes de resgate não sabiam quantas pessoas permaneciam presas.

"Às 16H25 locais (5H25 de Brasília) o balanço total era de 119 mortos", anunciou o governo provincial de Jilin em sua conta no Weibo, o equivalente do Twitter na China.

Este é o incêndio mais grave em mais de uma década no país, segundo o portal Baidu. Em 25 de dezembro de 2000, um incêndio em um centro comercial de Luoyang, na província de Henan (Centro), deixou 309 mortos.

O prédio do abatedouro tinha uma "disposição complexa" e saídas estreitas, o que dificulta os trabalhos das equipes de emergência, segundo a Xinhua.

A causa do incêndio ainda não foi determinada, mas segundo o canal público CCTV testemunhas ouviram uma explosão. Em um primeiro momento, a emissora informou que as chamas teriam sido provocadas por um curto-circuito, mas a polícia também trabalha com a pista de um vazamento de amoníaco.

Mais de seis horas depois do início das chamas, o incêndio estava praticamente controlado, segundo a emissora.

Durante a manhã, uma fotografia publicada no Weibo e recuperada por um portal de notícias de Hong Kong mostrava uma espessa nuvem de fumaça acima do abatedouro. Ma a autenticidade da imagem não pôde ser comprovada.

A empresa, criada em 2009, tem 3.000 funcionários e produz 67.000 toneladas de carne por ano para o mercado chinês, segundo o ministério da Agricultura.

A empresa faturou 230 milhões de yuanes (29 milhões de euros) no fim de 2010, segundo a agência China News Service.

Com frequência, as normas de segurança não são respeitadas na China, o que provoca acidentes fatais, principalmente em minas ou fábricas.

Em Xangai, um incêndio em um prédio residencial provocou a morte de 58 pessoas em 2010. Em 2004, 53 personas faleceram em um incêndio em um centro comercial de Jilin.

Até o momento, as autoridades não determinaram se as chamas de Dehui foram provocadas pela violação das normas de segurança. Nenhuma detenção foi anunciada, mas de acordo com a Xinhua uma investigação foi aberta.