O governo da Venezuela divulgou nesta terça-feira (9) os áudios contendo o que qualificou como provas de uma conspiração de mercenários salvadorenhos para tumultuar o ambiente político no país às vésperas das eleições para escolher o sucessor do falecido Hugo Chávez na presidência venezuelana.

O ministro de Interior de Venezuela, general Néstor Reverol, informou em mensagem transmitida pela televisão estatal do país que "uma fonte fidedigna" fez chegar ao governo dois áudios nos quais dois homens falam sobre um plano de desestabilização.

Os participantes das conversas gravadas são identificados como o deputado Roberto D'Abuisson e o ex-coronel David Koch, ambos salvadorenhos.

Segundo Reverol, o governo venezuelano já havia identificado a entrada no país de dois grupos de mercenários oriundos de El Salvador, um dos quais estaria sob orientação de Koch, que, por sua vez, receberia instruções de D'Abuisson.

Em um dos áudios é possível ouvir o homem identificado como Koch dizendo que "o grupo está trabalhando na rua, com o povo, para desorientar o voto".

A outra pessoa, supostamente D'Abuisson, pede cuidado antes de acrescentar: "lembra que já ofereceram também o apoio se ganharem, e isso nos é conveniente".

O governo venezuelano tem denunciado nas últimas semanas que existem planos de desestabilização do processo eleitoral, inclusive planos de assassinato, e chegou a citar nominalmente D'Abuisson, um deputado salvadorenho conservador, de envolvimento em um desses complôs.

Ontem, D'Abuisson defendeu-se das acusações. "Não tenho nada a dizer a pessoas que fazem declarações falsas e mentirosas", disse ele a jornalistas. As informações são da Associated Press.