Existem algumas maneiras eficazes de valorizar um automóvel. No plano mundano, um bom polimento, pneus em bom estado, lataria e mecânica em ordem ajudam na cotação. Mas, entre automóveis lendários, é preciso unir alguns ingredientes que façam com que o carro atinja cifras milionárias e desperte a atenção de quem tem muito dinheiro sobrando, como o caso da Ferrari 335 S Spider Scaglietti, ano 1957, arrematada recentemente por 32,1 milhões de euros (algo em torno de R$ 148 milhões), num leilão realizado em Paris.

Segundo a imprensa europeia, a Ferrari foi disputada lance a lance por ninguém menos que Lionel Messi e Cristiano Ronaldo, sendo que o camisa 10 do Barcelona levou a melhor, mais uma vez.

Vale lembrar, que em dezembro, o argentino também faturou a Bola de Ouro pela quinta vez, deixando o gajo a ver navios. Obviamente, nenhum dos atletas confirmam a participação no leilão e nem mesmo a aquisição do automóvel.

Segredo do sucesso

 

Ferrari

 

Rivalidade das quatro linhas à parte, a fama da 335 S se deu pela mistura de ingredientes raros. A começar pela rara e belíssima carroceria Scaglietti e um furioso V12 4.0 de 390 cv, que pode até parecer pouco nos dias de hoje, mas há 60 anos era algo absurdo. Some a isso o fato de o carro ter vencido o GP de Cuba, em 1958, sob a condução impecável do campeão de Fórmula 1 Stirling Moss.

O 335 S Spider Scaglietti também foi um devorador de provas de longa duração, como os Mil Quilômetros de Nurburgring, 24 Horas de Le Mans e a clássica Mile Miglia, inclusive tendo sido protagonista de um grave acidente que deixou piloto e nove espectadores mortos. Tudo isso só fez com que a aura e as cifras da 335 S se valorizassem.