SÃO PAULO - Não foi dessa vez que a Volkswagen preencheu o abismo entre as versões do Jetta, com a chegada da versão intermediária, equipada com o motor 1.4 turbo de 140 cv, utilizado no Golf. Mas se serve de consolo o sedã, ganhou um para-choque lindão. Sob o capô, as versões mais simples Trendline e Comfortline têm motor 2.0 8v de 120 cv, que proporciona desempenho modesto. Na “Top” “Highline”, motor 2.0 turbo com injeção direta à gasolina e generosos 211 cv para agilidade e muita força.

A transmissão, sempre automática com seis marchas, também varia conforme a versão. A mais completa dá direito a sistema com dupla embreagem, ao passo que as mais simples trazem a convencional, mais lenta nas mudanças. Borboletas no volante, só nas versões mais caras. A versão de entrada Trendline, parte dos R$ 75 mil.

Touareg

Touareg - VW

Por fora, as principais diferenças estão nos para-choques, grade do radiador e desenho da luz emitida pelos faróis e lanternas. No interior, destaque para a nova iluminação.

São apenas duas versões, “V6” com motor 3.6 a gasolina e 280 cv e “V8”, apenas na configuração “R-Line”, com motor 4.2 a gasolina e 360 cv. Ambas tem transmissão automática com tração integral nas quatro rodas, oito marchas e acionamento sequencial por borboletas.

Na segurança, continuam os seis air bags, ajuste de altura da suspensão e controles eletrônicos de estabilidade e tração. O V8 oferece novidades opcionais como controlador de velocidade que para e arranca sozinho conforme o veículo que vai à frente faz isso, cintos de segurança que te puxam para o encosto em caso de risco de acidente e sistema que aciona o freio após uma colisão, para evitar que batidas secundárias.

Ambos estarão à venda a partir do fim deste mês. O Jetta atualmente importado do México, será fabricado no Brasil até o fim do ano. O Tuareg vem da Eslováquia.

(*) Viagem a convite da Volkswagen