Em 1991, os brasileiros ficaram boquiabertos com o Suzuki Swift, que foi um dos primeiros automóveis a desembarcar no país após o então presidente Fernando Collor abrir as importações, e ficou no mercado até 1999. Agora, o fabricante japonês retoma a importação do compacto, que chega ao país em suas versões nervosas Sport e Sport R.
 
A estratégia da Suzuki é oferecer um compacto com pegada esportiva para quem gosta de ter controle total do automóvel. Dessa maneira, ele chega apenas com caixa manual de seis marchas e possibilidade de desativar o controle de estabilidade (ESP). 
 
Seu objetivo é concorrer com modelos como Citroën DS3, Audi A1 e Mini Cooper, mas com um preço mais agressivo, para compensar a falta de prestígio diante dos compactos europeus de butique. A versão Sport estreia no mercado com preço sugerido de R$ 75 mil.
 
Em contrapartida, o carrinho oferece motor 1.6 16v, com variação de abertura de válvulas e coletor de admissão, que garantem potência de 142 cv e torque de 17 mkfg. Valores que o colocam acima das versões básicas do A1 e Cooper. O conjunto é completado com ar-condicionado digital, rádio com CD/MP3, freios a disco nas quatro rodas, escapamento com ponteiras duplas, seis airbags, freios ABS e rodas aro 16.
 
 
Relação de marchas
 
Já a versão Sport R, que custa R$ 82 mil, tem como diferenciais rodas aro 17, calçados com pneus Pirelli PZero, segunda tonalidade de pintura no teto e nos retrovisores, além de opcional de sistema de entretenimento com navegador GPS integrado.
 
O motor é o mesmo, mas há a opção de escolher conjunto de relações de marcha mais curtas, para quem realmente quer extrair todo o veneno do carrinho.