As primeiras referências sobre o modo de se alimentar dos mineiros, foram descritas na obra do escritor Eduardo Frieiro, a quem o mercado gastronômico homenageia através de iniciativa do professor e chef de cozinha Edson Puiati, coordenador do curso de Gastronomia da UNA, instituindo o prêmio maior da gastronomia do Estado com seu nome, marcando definitivamente sua importância para as novas gerações e para evolução cultural gastronômica mineira.

Um Estado que jamais perderá a sua marca de origem cravada em seu nome, Minas Gerais, pois mesmo esgotando as reservas minerais em breve, jamais deixará de explorar, garimpar e produzir as outras inesgotáveis reservas: A arte de receber do povo hospitaleiro e criativo, e as joias produzidas nos territórios gastronômicos, em seus inigualáveis fornos e fogões.

Nesta edição especial, o caderno Territórios Gastronômicos homenageia a todos que escreveram e escrevem essa história, através de exemplos como as mestras Dadeth Bahia, Dona Nelsa Trombino, Dona Stella Libanio, Dona Lucinha, Edgard Melo. A eles se juntaram os estrangeiros que aqui chegaram, encantando os mineiros com a fusão cultural e o saber fazer nas suas cozinhas ao longo da história, como dona Picchita Lanna e sua família de artistas, os pioneiros, chef Lucien, da Escola Senac, o sempre contemporâneo Motta, o chef Memmo Biaggi e sua mãe, dona Derna, dentre tantos outros.

O mercado também reverencia outras iniciativas vitoriosas que deram vitrine a essa arte que une e destaca Minas à mesa, como os grandes eventos e festivais gastronômicos que movimentam o estado há décadas.

Anônimos heróis

O projeto Territórios Gastronômicos presta ainda homenagens aos milhares de cozinheiros anônimos, aos que produzem no campo as riquezas agrícolas, aos pequenos produtores artesanais, as indústrias de transformação, que movem a economia mineira, e especialmente aos vendedores anônimos do comercio, que dão vida e alegria aos mercados e feiras espalhados por todo o estado, aproximando das mesas e cozinhas essa infinidade de tesouros culturais gastronômicos.

Há que se comemorar ainda esse grande momento, exaltando as centenas ou milhares de alunos de gastronomia e nutrição, que buscam nas escolas e faculdades, cada vez mais preparadas, o aprendizado técnico, sobretudo engajado no papel da gastronomia na evolução social, cultural, e especialmente na melhoria da qualidade de vida das pessoas, e aos competentes chefs de cozinha de Minas, que têm levado o nome de Minas com tanta competência para o mundo.

Relação de Agraciados - Prêmio Eduardo Frieiro - Semana da Gastronomia Mineira

1) Mestras Mineiras

Dona Lucinha Nunes – Restaurante Dona Lucinha

Dona Nelsa Trombino – Restaurante Xapuri


2) Festival da Quitanda de Congonhas do Campo

Categoria Prata da Casa: Terezinha das Graças de Souza

Categoria Regional: Noeme Madalena


3) Festival da Quitanda Barão de Cocais: Cristiane Ferreira da Silva


4) Festival de Pratos Típicos de Desterro do Melo: Leandro Pinheiro Luna


5) Festival Gastronômico de Monte Verde: Prefeito Edmar Dias


6) Festival Igarapé Bem Temperado: Maria Nunes da Silva – Mestra Maria do Sindicato


7) Festival Boa Mesa Caxambu: Amaro Gadbem


8) Festival de Viola e Gastronomia de Piacatuba: Alceir de Andrade da Silva


9) Festival Comida di Buteco: Washington Grenfell – Buteco Já tô inno


10) Destaque Cachaça Mineira: Paulo César Rodrigues – Taverna de Minas


11) Cerveja Especial: Marco Falcone


12) Destaque Empório Mineiro: Laura Cota – De-lá


13) Destaque pela Valorização da Cultura Gastronômica: Eduardo Avelar


14) Festival de Gastronomia Rural de Itapecerica: Paulo Donizete Pereira


15) Festival Botecar: Leonardo Marques


16) Destaque Café das Matas de Minas: José Alexandre Abreu de Lacerda – Café Forquilha do Rio


17) Destaque Queijo da Serra da Canastra: Guilherme Ferreira – Estância Capim Canastra


18) Destaque Festival de Jabuticaba de Sabará: Déa Ramalho Evangelista


19) Festivais de Tiradentes e Fartura: Rodrigo Ferraz