A autorização do governo de Minas para retomada das cirurgias eletivas renova as esperanças de quem espera, há meses, pela intervenção que pode gerar alívio de dores e mais qualidade de vida. Em Montes Claros, mais de 6,8 mil pessoas esperam pelo procedimento e começam a ver os hospitais se organizando para atendê-las. 

As cirurgias eletivas foram suspensas em fevereiro em virtude da pandemia do novo coronavírus, para evitar a sobrecarga nas unidades de saúde.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Fábio Bacherreti, a única condicionante para a realização dos procedimentos é a de que os hospitais tenham estoque de kit intubação suficiente para pelos menos 30 dias.

Na maior cidade do Norte de Minas, referência para 84 municípios da região, as intervenções começam a ser agendadas. No Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro da Silveira, 60 cirurgias de catarata foram realizadas no fim de semana. 

“Com o aumento dos casos de Covid, as cirurgias foram interrompidas. Há uma urgência de continuar com elas. Casos que poderiam esperar um pouco, esperaram demais. Pacientes que têm diagnóstico de câncer, por exemplo, têm prazo para fazer uma cirurgia, senão este câncer pode disseminar. Muitos ficaram em casa e não fizeram. Então, eles têm que vir imediatamente para o hospital”, afirma a diretora do HC, Raquel Muniz.

Ela conta que o hospital realizou mais de 60 procedimentos no último fim de semana. “Esse sinal já nos deu alegria. Estamos prontos para atender as outras cirurgias que o município e região demandarem. Adquirimos equipamentos, como torres de vídeo, para realização de cirurgias minimamente invasivas e que vão diminuir o tempo de internação do paciente”, explica Raquel.

De acordo com Ana Paula Nascimento, também diretora do HC, o hospital realiza cirurgia geral, ginecológica, oftalmológica, de otorrinolaringologia, cirurgia plástica, toráxica, urológica, bucomaxilofacial e pediátrica.

AGENDAMENTO
A Santa Casa de Montes Claros informou que as cirurgias já estão sendo reagendadas. Naquela unidade a prevalência é de neurocirurgias, cirurgia geral e ortopedia. Já o Hospital Universitário Clemente de Faria informou que está retomando a agenda de procedimentos gradualmente. 
 
ALÍVIO
Esse movimento de retomada enche de esperança Iran Soares, que convive com a dor e a expectativa de conseguir realizar a cirurgia para retirada de pedras nos rins. Ele comemorou a notícia, mas ainda não sabe como deve proceder e espera que o município comunique à população.

“Estava com a cirurgia marcada, faltava uma semana, veio a pandemia e mudou tudo. Eu até pensei em vender a moto para custear a cirurgia, que custa em torno de R$ 4,5 mil, mas me disseram que nem particular eu conseguiria, porque o governo proibiu”, conta Iran.

Ele diz estar com toda a documentação separada, com a realização de todos os exames necessários. “Está vencido, mas eu penso que ainda vale porque estava tudo prontinho”, acredita Iran, ressaltando que quando procurou a Secretaria Municipal de Saúde disseram que ele seria avisado da retomada assim que acontecesse. “Mas até agora não ligaram. Com essa notícia fiquei esperançoso. Vou ter que ir à secretaria para saber como fazer”.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que o município iniciou, nesta semana, a retomada dos procedimentos, seguindo os critérios estabelecidos pela Resolução SES/MG N°7617 de 23 de julho de 2021. “A realização das cirurgias eletivas não poderá comprometer em nenhuma hipótese o atendimento de urgência e emergência”, afirma a nota.

“A retomada está sendo realizada pela fila do bloco cirúrgico, cujas cirurgias foram canceladas em virtude da pandemia, com uma demanda de 404 pacientes da macrorregião de saúde, contabilizando a fila do bloco cirúrgico de todos os hospitais de Montes Claros. Além da demanda reprimida da fila do bloco cirúrgico, o município de Montes Claros possui um quantitativo de 6.839 pacientes aguardando a realização da consulta W (consulta pré-cirúrgica) para posterior realização da cirurgia”, diz a nota.