São João das Missões, município do Norte de Minas sede da nação indígena Xakriabá, é a cidade que recebeu o segundo maior número de doses da vacina contra a Covid-19 na região, ficando atrás apenas de Montes Claros, e a sexta em Minas Gerais. São 10.371 doses que irão imunizar 5.186 pessoas – pois são duas doses para a devida proteção – em 34 aldeias.

Segundo o coordenador da Vacinação da Covid-19 no município, Marciel Bispo da Silva, o “número é satisfatório e contempla a quase totalidade dos indígenas com mais de 18 anos que, segundo dados do Sistema de Informação de Saúde Indígena, são 5.671”, ou seja, 91,4% da população indígena maior de 18 anos do município ficarão protegidos.

Os indígenas fazem parte do grupo prioritário na primeira fase da vacinação e correspondem a cerca de 70% da população de São João, que é de 11.715 habitantes, segundo o IBGE.

Marciel Bispo explicou que, na quarta-feira, dez equipes começaram nas primeiras horas da manhã a vacinação em todo o território indígena, de 54 mil hectares.

“Antes mesmo de as doses chegarem, já havíamos definido todo o esquema para que a população indígena fosse vacinada no menor tempo possível, estratégia na qual contamos com a participação de outros departamentos que compõem a estrutura de governo”, destacou o coordenador. A expectativa é a de que a vacina chegue às 34 aldeias ainda essa semana.

O prefeito de São João das Missões, Jair Cavalcante Barbosa (Republicanos), de 37 anos, tomou a vacina ainda na tarde de terça-feira. Jair Xakriabá, como é conhecido, é o único gestor municipal indígena em Minas. Ele mora com a família na Aldeia Brejo do Mata Fome, onde iniciou sua carreira como professor de ensino fundamental na Escola Estadual Indígena Bukimujú.
 
PREFEITO
Na solenidade ocorrida na Unidade de Saúde Rosalino Gomes, nome dado em homenagem ao pai do cacique Domingos Xakriabá e do ex-prefeito José Nunes, chacinado em 1986, o chefe do Executivo frisou que aquela passava a ser outra data importante para o município e para a nação indígena.

“Para a Regional de Saúde de Januária, composta por 23 municípios, foram liberadas 14 mil doses. Então, recebemos parcela significativa (37%), porque grande parte de nossa população é de alto risco”, afirma o prefeito. 

“Mobilizamos todas as equipes para essa data histórica, no momento em que observamos existir uma rejeição muito grande por parte da população com relação à vacina da Covid-19, na verdade, falsas notícias”, disse o prefeito indígena.
 
CHAMADO
Ele pediu a todos para “ficarem atentos, porque não se pode questionar a importância da vacina, de modo que é com grande alegria que tomo a primeira dose para dar o exemplo, não por ser prefeito, e, sim, por ser líder, recomendando a todos que façam o mesmo. Brevemente, a vacinação contemplará todo o município, reforçando ainda que precisamos manter os cuidados, sobretudo usando máscara, higienizando as mãos e mantendo o correto distanciamento”, alertou. 

A chegada da vacina contra a Covid-19 à nação Xakriabá foi considerada um momento histórico por Domingos Xakriabá, de 46 anos, cacique do Povo Xakriabá desde julho de 2013.

“Vivemos hoje um momento histórico, de muita emoção não só para mim, que tive a honra de receber a vacina, mas para todo o Povo Xakriabá, porque foi muito grande nossa luta para conter o avanço da transmissão, para evitar o contágio em massa em função de nosso modo coletivo de vida”. 

Para o cacique, vencer a pandemia “é outro passo que ficará marcado eternamente na memória de nosso povo”.