Chá e vacina contra a gripe curam a Covid-19? O novo coronavírus pode ser transportado em encomendas feitas via internet direto da China? Até mesmo profissionais na linha de frente no atendimento a pacientes sofrem com excesso de notícias, dúvidas de familiares e fake news. Nesse momento, repassar informação correta é essencial no enfrentamento à doença.

Esse, inclusive, é o intuito do I Congresso Nacional do Cuidado do Profissional de Enfermagem, evento on-line e gratuito que abrirá as comemorações da semana dedicada a quem também é essencial nos hospitais. As transmissões, pelo YouTube, acontecem de 12 a 14 de maio.

As atividades são realizadas pelas Faculdades Integradas do Norte de Minas (Funorte) e o Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro da Silveira, em Montes Claros, que se uniram a outras instituições de ensino superior para apresentar lives sobre práticas corretas de trabalho e enfrentamento da enfermidade.

O evento é voltado tanto para enfermeiros, técnicos e auxiliares quanto outros trabalhadores da saúde. Os participantes serão certificados desde que se inscrevam no site https://funorte.virtualclass.com.br.

“Nosso objetivo é conhecer como os profissionais estão enfrentando o combate à Covid-19. O congresso foi pensado para transmitir o máximo de informações corretas. Recebemos muitas informações e dúvidas, de pacientes e familiares, e muitas são fake news”, explicou Leila das Graças Siqueira, coordenadora do curso de Enfermagem da Funorte e diretora acadêmica do Hospital das Clínicas Dr. Mário Ribeiro da Silveira. 
 
PALESTRAS
Regina Martins, técnica em Gestão Hospitalar do Ministério da Saúde, vai participar para mostrar aos profissionais onde buscar conteúdos verídicos sobre a pandemia. “Queremos sensibilizar quem está à frente do serviço e também dissemina informação”, diz Leila.

Para Elizia Esther Calixto Paiva, coordenadora do curso de Enfermagem do UniSant’Anna e doutoranda em Biotecnologia em Ciências da Saúde, o evento também reforça a importância do enfermeiro na saúde brasileira. “Em países de primeiro mundo, a valorização já é muito grande. Temos que ter o olhar de que, sem essa mão de obra, o mundo para”.

Segundo a docente, quem não optava pela profissão começou a rever os olhares. É o caso de William Bolmann, aluno do sexto período de Enfermagem da instituição. “Estou amando e não me arrependo. Nessa situação que vivemos, é a profissão mais importante. Corremos riscos, na linha de frente, no primeiro contato, salvando vidas”. 

Bolmann conta que as lives são importantes já que há, sobretudo nesse período, muitas pessoas que o procuram com mitos e inverdades sobre a saúde. 

Para ele, ao fim dessa pandemia, a população vai perceber que a Enfermagem foi essencial no processo. “Vão analisar que ajudamos a todos que sobreviveram e seremos mais valorizados na sociedade”, disse.

“O Conselho de Enfermagem atua na valorização da categoria, dentro da campanha global Nursing Now (Enfermeiro Já) que estima que em uma década faltarão profissionais. Aí surge essa pandemia, momento que somos mais do que necessários”
 
Elizia Esther Calixto Paiva 
Coordenadora do curso de Enfermagem do UniSant’Anna