Caminhoneiros, jovens de 12 a 21 anos, portadores de doenças crônicas e agentes da segurança pública que ainda não se protegeram contra a gripe devem ficar atentos. A segunda etapa da campanha nacional de vacinação termina na sexta-feira. A blindagem torna-se ainda mais necessária em meio à pandemia do novo coronavírus.

Em Minas, a expectativa é imunizar 1,6 milhão de pessoas deste público-alvo. Apesar de não proteger contra a Covid-19, a dose para evitar a gripe pode facilitar o trabalho das equipes de saúde no diagnóstico, já que as doenças têm sintomas semelhantes.

Em comunicado publicado no site da Secretaria de Saúde (SES), a coordenadora estadual do programa de Imunizações, Josianne Gusmão, ainda reforçou que a vacinação pode diminuir os riscos de complicações, internações e mortalidades decorrentes das infecções pela influenza.

“Se as pessoas se vacinarem e em cada grupo prioritário conseguirmos a cobertura de no mínimo 90%, iremos alcançar a imunidade coletiva, ou seja, a proteção das pessoas que não receberam a vacina e, assim, menos pessoas precisarão de hospitalizações nesse momento de pandemia do coronavírus”, complementa.

Ainda segundo a SES, estudos demonstram que a dose pode reduzir em até 45% o número de hospitalizações por pneumonias. “A vacina influenza é a medida de prevenção mais importante para proteger contra a doença”, aponta Josianne Gusmão.

PRÓXIMA ETAPA
A primeira etapa da campanha de vacinação contra a influenza contemplou maiores de 60 anos e trabalhadores da saúde. A próxima – terceira e última – começa em 9 de maio. Ela terá como público prioritário os professores das escolas públicas e privadas, crianças de 6 meses a 5 anos, adultos de 55 a 59 anos, gestantes e pessoas com deficiência.

Todos os estados estão abastecidos para iniciar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Para isso, o Ministério da Saúde investiu R$ 1,1 bilhão na aquisição total de 79 milhões de doses da vacina para as três fases.

Ainda conforme a pasta federal, novas remessas de lotes são enviadas todas as semanas. Os estados são responsáveis por fazer a distribuição aos municípios.