No pior momento da pandemia da Covid-19 no país, dez das 14 macrorregiões de saúde de Minas já atingiram pelo menos 70% de ocupação das unidades de terapia intensiva (UTI). Em Uberaba, no Triângulo, pacientes com o novo coronavírus precisaram ser transferidos, por falta de leitos.

Alguns infectologistas temem colapso do sistema de saúde, se não forem tomadas medidas para conter o avanço do vírus. Como já mostrou O NORTE, o crescimento das internações pode ser reflexo do Carnaval. Além disso, infectologistas apontam certo “desleixo” da população ao se prevenir.

Segundo o Painel de Monitoramento de Casos da Secretaria de Estado de Saúde (SES), nesta terça-feira (2) a taxa de ocupação na região do Triângulo do Sul chegou a 106,67%. Há 112 pacientes para 105 vagas disponibilizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Desse total, 40 foram internados com Covid ou suspeita da doença.

A vizinha Triângulo do Norte também está em alerta, com 85,5% de uso das UTIs. Dos 301 leitos SUS disponíveis, 253 já foram ocupados. Estão hospitalizadas, com Covid-19 ou com suspeita, 161 pessoas.

No Centro de Minas, a taxa de ocupação atingiu 82%, com preenchimento de 1.025 das 1.249 vagas. Pacientes diagnosticados ou com hipótese de contaminação somam 459.

Para Carlos Starling, infectologista e membro do Comitê de Enfrentamento à Covid de BH, a situação nessas localidades é de “extrema preocupação”. Ele acredita que o aumento do número de internações ocorre pelo relaxamento da população em evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

“Isso acaba tendo uma perspectiva de exaustão dos números de leitos nessas regiões e, com muita frequência, a transferência de pacientes para Belo Horizonte e outros locais. A tendência é de aumento no país inteiro e a preocupação é enorme”, afirma.

Apenas quatro macrorregiões seguem com números inferiores a 70%. No entanto, com o avanço da Covid-19 no Estado – foram quase 4 mil novos registros nesta terça-feira –, pelo menos três estão próximas de atingir a marca negativa: Oeste (68,77%), Vale do Aço (67,89%) e Norte (65,23%). No Vale do Jequitinhonha, o índice é de 50% de utilização das UTIs. 

A taxa de ocupação dos leitos em Minas está em 76%, com 1.546 pacientes internados em decorrência da Covid-19. Com relação aos leitos de enfermaria, o índice de uso é de 66%, com 2.544 pessoas internadas, com sintomas ou diagnóstico de coronavírus, segundo o SUS-Fácil. No Estado, 887 mil pessoas já tiveram Covid-19 desde o começo da pandemia, e mais de 18 mil morreram.

SAIBA MAIS
Uma criança de 9 anos morreu em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, vítima da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P).

A criança não tinha comorbidades e testou positivo para Covid-19. É a primeira morte pela doença confirmada pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). 
 
A criança teve febre e cefaleia, em 21 outubro de 2020, foi hospitalizada no dia 24 e transferida para a UTI no dia 25. O óbito ocorreu em 26 de outubro e o caso foi notificado de acordo com os critérios do Ministério da Saúde para notificação de suspeita de SIM-P. Há em Minas 77 casos confirmados da doença e 30 sob investigação.