O PS5 deverá ser apresentado em breve e uma das apostas de especialistas do setor é que essa nova geração não deverá ter um impacto visual tão grande como foi da geração PS2 para PS3, Xbox para Xbox 360, assim como o avanço da geração passada para a atual. Afinal, PS4 Pro e Xbox One X já contam com gráficos em 4K. Resolução que deixou a experiência mais bonita, mas também tornou os games mais pesados. 

Assim, a grande promessa da nova geração que se desenha é reduzir o tempo de carregamento. É esperado que o PS5 consiga iniciar os jogos e carregar salvamentos com muito mais agilidade que o PS4. Mas saiba que é possível deixar seu PS4 mais ágil, com um investimento relativamente baixo, apenas com a troca do disco rígido por uma unidade de disco sólido (SSD).

E para provar que funciona, trocamos o HD do PS4, de primeira edição (2013 a 2016), por um SSD. Para o teste utilizamos uma unidade Kingston KC600 de 1TB, que gira em torno de R$ 600 no varejo. Para quem acha o valor elevado, unidades de 480 ou 500 GB giram em torno de R$ 300.
 
O TRANSPLANTE
Fazer a troca do HD pelo SSD é bastante simples e não é preciso levar o console a uma rede autorizada. A própria Sony oferece um tutorial no site brasileiro do PlayStation (http://bit.ly/372Lmzf) em que ensina a fazer a troca nas três versões do PS4.

Antes de iniciar o procedimento, é preciso fazer um backup dos dados de usuário, jogos, dados de salvamento, imagens, vídeos capturados e tudo mais que estiver armazenado no disco. Para isso é ideal ter um HD externo. Assinantes PS Plus podem armazenar seus salvamentos em nuvem.

No teste removemos todo os games para um HD Externo (de uso dedicado ao PS4) e fizemos o backup dos dados de sistema e salvamentos, o que tornou a operação bem mais rápida. Na falta do recurso será preciso reinstalar os jogos. 

Após o backup concluído, é preciso fazer o download do sistema operacional (http://bit.ly/375ED7E). Para isso, é necessário um pen drive com 1GB de espaço livre. 

Cada versão do PS4 tem seu local de armazenamento específico, que pode ser visto no tutorial da Sony, mas todos os discos ficam protegidos parafusados numa gaveta, que também é fixada ao chassi do aparelho. Basta remover a peça e colocá-la na posição idêntica ao do HD. 

Com o SSD conectado e afixado, é hora de fazer a instalação do sistema operacional (via pen drive) e posteriormente descarregar o backup dos dados salvos (via HD externo). Para isso, é preciso conectar o joystick, por cabo, e seguir as instruções que aparecerão na tela.
 
RESULTADO
O tempo de resposta de um SSD chega a ser até 15 vezes mais rápido que de um HD convencional. A razão é o SSD não utilizar componentes mecânicos como disco e agulha para ler os dados. Ele funciona como uma unidade de memória flash, semelhante aos pen drives e cartões do tipo SD. 

No PS4, o tempo de carregamento do sistema, que era de aproximadamente 35 segundos, caiu para 12 segundos. Para o teste utilizamos dois jogos pesados que geralmente levam uma eternidade para carregar. São eles “Days Gone” e “Red Dead Redemption 2”. 

Tratam-se de dois títulos de mundo aberto, com mapas imensos, uma grande quantidade de elementos, personagens, inimigos e mudanças climáticas. Ou seja, para começar o jogo é preciso carregar um volume elevado de dados antes da partida começar.
“Days Gone” é um game empolgante, mas demora uma encarnação para carregar. São quase quatro minutos até a partida começar. Instalado no SSD, o tempo caiu para 2 minutos. Já “Red Dead 2” exige 2 minutos e 40 segundos para carregar no HD. Com o SSD, o tempo despencou para 1 minuto e meio. 
 
EXPANSÃO 
Junto do teste utilizamos um SSD externo Savage EXO de 480GB da HyperX (divisão de alta performance para games da Kingston), que gira em torno dos R$ 500. Ele oferece opção de armazenamento mais ágil que um HD externo.

Transferimos “Red Dead 2” e “Days Gone” para o HD externo convencional, que registrou carregamento semelhante ao do antigo disco rígido interno. Depois transferimos para o SSD externo, que se mostrou bem mais rápido, como o SSD do console.