A expectativa de que a prova do Enem deste ano seja mais objetiva, de acordo com a fala do próprio ministro da Educação, Abraham Weintraub, não se reflete apenas nas áreas de humanas. Na de Ciências da Natureza, onde se encaixam química, física e biologia, a previsão é a de que o teste seja mais “conteudista”, na avaliação do professor de química do Colégio Indyu, Helói Araújo.

“O aluno precisa esperar conteúdos como estequiometria, que envolve o cálculo da pureza dos reagentes limitantes, a questão da estequiometria nas reações químicas, a termoquímica – que envolve o cálculo de calor –, questões de equilíbrio químico e molecular, a parte de princípio de Le Chatelie, ou seja, deslocamento de equilíbrio químico, equilíbrio iônico, cálculo de pH, que são temáticas fortes que envolvem as questões de química do Enem”, pontua.

A parte de química orgânica, segundo Helói, é muito presente nas provas do Enem, em questões de identificações das funções orgânicas, associação dessas funções orgânicas com ligações intermoleculares, ou seja, as propriedades físicas dos compostos orgânicos, sabendo diferenciar um composto do outro a partir do seu ponto de ebulição.

“São temáticas importantes e que são abordadas, principalmente as reações de substituição e oxidação, que são reações muito cobradas por serem situações muito cotidianas e que o aluno precisa dominar os conceitos básicos”, completa o professor.
 
BAGAGEM REVISADA
“Teremos entre 10 e 15 questões de química na prova. Não é possível fazer uma previsão 100% do que vai cair. É interessante que o aluno domine todo o conteúdo do ensino médio, diferentemente dos vestibulares seriados, como Paes Unimontes, onde o estudante responde a questões referentes a disciplinas cursadas somente naquele ano. O mais prudente é que o aluno consiga ter uma noção de toda bagagem que lhe foi transmitida no 1º , 2º e 3º anos do ensino médio”, ressalta o professor Helói.

É o que a estudante do 3º ano do ensino médio do Colégio Indyu Anna Victoria tem buscado fazer. Ela se esforça em complementar o conteúdo visto em sala de aula.

“Tenho procurado ler reportagens e buscar conteúdos em sites confiáveis, inclusive séries é algo que gosto de assistir. Tenho usado como repertório cultural, em que temas atuais são abordados”, afirma. Além disso, a revisão dos conteúdos de química está em dia.