O nome do show que Daniela Mercury traz amanhã para Belo Horizonte é curioso: “Baile da Rainha Má”. Por que a escolha da personagem do conto de fadas para representar a nova turnê? “A rainha má é meu alter ego. É subversiva, que dá na cara dos caretas”, explica a cantora que há duas décadas recebeu o apelido de Furacão Baiano.

Essa postura contestadora de Daniela ficou mais clara a partir de 2013, quando ela se casou com a jornalista Malu Verçosa. “Sempre fui essa rainha má, que confronta as questões, que traz a força e afirmação feminina, que trabalha a afirmação do negro, que trabalha a afirmação de ser gay. Sou uma humanista, a roqueira do axé”, diz.

O discurso contestador dá a tônica de “Vinil Virtual”, disco que a cantora lançou no fim do ano passado, pela Biscoito Fino. Na capa, ela está nua, abraçada a Malu, numa referência à clássica foto do beatle John Lennon e sua mulher Yoko Ono na cama.

Este foi o primeiro disco 100% autoral da carreira de Daniela. “Aprofundei, neste álbum, o meu discurso. Compus o disco inteiro, coloquei definitivamente o que queria dizer. Nos outros discos, fui dizendo isso em doses homeopáticas, mas, com um disco inteiro nas minhas mãos, pude fazer crônicas e analogias sobre o meu universo. Dessa vez, é um disco cru e direto, de discurso livre”, afirma.

Lembrança

Não é somente as músicas de “Vinil Virtual” que vão estar presentes no show de amanhã. Os muitos hits dos 25 anos de carreira fonográfica – “O Canto da Cidade”, “Nobre Vagabundo, “Feijão de Corda”, entre outros – também estão no repertório. Bom para quem estava com saudades de um artista que não vem à capital há muitos anos.

“Eu eventualmente era convidada para o Axé Brasil. Mas o meu axé é de preto, um axé mais denso, e acabei ficando um pouco afastada das festas”, revela Daniela, que sempre faz questão de buscar inovação no Carnaval da Bahia.

- Daniela será jurada na nova edição do programa “SuperStar”, que estreia no dia 10 de abril.

Serviço:

Daniela Mercury no Music Hall (av. do Contorno, 3239), neste sábado (5), às 23h. Ingressos a partir de R$ 60