A programação oficial da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio + 20, foi encerrada na última sexta (22). Mas as questões levantadas no evento, naturalmente, continuam na ordem do dia. Ou, pelo menos, deveriam continuar. Motivo pelo qual também inspiram livros que, na esteira do encontro, adentram ao mercado.

Um exemplo é “Aquecimento Global & Crise Ambiental” (Editora Gaia, 208 páginas, R$ 37), do jornalista e escritor Claudio Blanc. Trazendo, na capa, a icônica imagem de um urso polar sobre um bloco de gelo partido, meio que à deriva, na água, o livro se vale do recurso de uma linguagem (bastante) acessível para apresentar, de maneira quase didática, algumas das questões compreendidas no bojo do título. Amplia-se, assim, o leque potencial de leitores.

Os capítulos se debruçam sobre questões evidentemente já conhecidas, mas que, com o acréscimo de estatísticas, ganham contornos de fonte de pesquisa. Do buraco na camada de ozônio ao consumo exacerbado de carne, em contraponto à significativa parcela da população que ainda sofre com a fome, passando pela questão do consumo e do lixo decorrente do mesmo, a obra pode não atender aos já mais enfronhados no assunto, mas revela-se, no mínimo, uma boa “peça” introdutória.