O projeto “Sempre um Papo” foca nesta terça-feira (12) o lançamento dos quatro primeiros números da coletânea “Agenda Brasileira” (Claro Enigma/Companhia das Letras) em Belo Horizonte. Será uma oportunidade para o público conferir um bate-papo entre Lilia Schwarcz e André Botelho (editores da coleção) com a historiadora Heloisa Starling. 
 
A ideia da coletânea surgiu após a boa receptividade no mercado do livro “Agenda Brasileira: Temas de uma Sociedade em Mudança” (2011), com 50 textos que abordavam temas contemporâneos – do esporte à tecnologia, passando por questões sociais e experiências culturais. 
 
Agora, a intenção é expandir os textos para volumes. Por enquanto, a coletânea tem início com “Nem Preto, Nem Branco, Muito pelo Contrário” (Lilia Schwarcz), “Cidadania, um Projeto em Construção” (vários autores), “As Figuras do Sagrado” (Maria Lucia Montes) e “Índios no Brasil” (Manuela Carneiro da Cunha). Outros livros já foram encomendados. 
 
“A coleção continua a desenvolver textos que debatam temas contemporâneos. Já estamos preparando livros sobre juventude e meio ambiente. O público-alvo são professores, alunos do Ensino Médio e universitários. A intenção é levar o debate para a sala de aula”, explica a editora e professora Lilia Schwarcz. 
 
A maioria dos convidados para participar de “Agenda Brasileira” são acadêmicos das principais universidades do país. “A coleção usa uma linguagem acessível, o que não quer dizer que seja muito fácil, para ser adequada ao ensino universitário”. 
 
Durante o lançamento da coletânea, Lilia deve conversar sobre seu novo livro – um dos vários de temática racial, seu principal tema de estudo desde os tempos de mestrado –, enquanto André Botelho falará sobre “Cidade, um Projeto em Construção”, obra com dez textos sobre minorias, justiça e direitos. Heloisa Starling, que participou do livro “Agenda Brasileira” com um texto sobre música popular, atua como mediadora, mas também deve dividir conhecimentos com o público. 
 
A passagem de Lilia Schwarcz por Belo Horizonte será bastante breve. Ao lado de Adriano Pedrosa, ela é curadora da mostra “Histórias Mestiças”, que entra em cartaz neste sábado no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. A exposição apresenta documentos de vários séculos e obras artísticas contemporâneas – incluindo criações de Adriana Varejão e Carybé. 
 
“Sempre um Papo” na sala Juvenal Dias do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1537), nesta terça, às 19h30. Gratuito.