Para onde vão as obras quando não exibidas? Através da poesia que se forma ao redor da criação, a ideia da obra de arte quando não exposta gera curiosidade. Afinal, a mostra passa, mas a produção permanece. O BDMG Cultural faz um passeio por esse imaginário, e o traz à tona na “Mostra Minas”, uma síntese do trabalho dos quase 200 artistas presentes no acervo da galeria.

Com curadoria de Sérgio Rodrigo Reis, o propósito vai além: montar um panorama da produção visual contemporânea. A mineiridade é um ponto a ser observado nas obras expostas– ainda que representem o mundo enxergado pelos artistas, Minas não sai de cena.

É o resultado não só do trabalho de Reis, mas do espírito que o BDMG mantém desde a criação do espaço. “Este recorte do acervo traz à tona uma política pública incomum entre as instituições do gênero, em prol da valorização de artistas mineiros, que escolheram olhar e representar o mundo a partir de uma relação com vários elementos”, apresenta o curador.

Nomes consagrados

A exposição resgata nomes importantes das artes visuais que passaram pela Galeria. É o caso de Sônia Gomes, que chegou à última Bienal de Veneza, na Itália, com suas esculturas contemporâneas. No mesmo evento, Paulo Nazareth se destacou por seu trabalho conectado à realidade em que viveu (foi de jardineiro a guardador de carro). Jorge dos Anjos, Bax, José Assunção, Leonora Weissmann, entre outros, fazem parte do grupo que expõe 45 obras selecionadas.

Além de esculturas, gravuras e pinturas, a curadoria de Reis deu especial atenção à fotografia. “Revelam plasticamente as paisagens modificadas pela atividade mineradora, propondo uma reflexão”, ressalta.

Adaptações a demandas de mercado

Apesar de oriundas do acervo do BDMG Cultural, as obras encontrarão um “palco” totalmente diferente do que viram um dia. Isso porque a galeria passou por profunda reforma, com o objetivo de atender às novas demandas do mercado das artes visuais.

Além de iluminação mais moderna, o espaço ganhou novo mobiliário, que terá diferentes funções de acordo com cada exposição. “A cereja do bolo são os equipamentos de áudio e vídeo, que vão trazer diferentes possibilidades para os expositores”, explica Érico Grossi, coordenador da galeria.

Mostras Minas – Panorama da Produção Visual Contemporânea” - na Galeria de Arte BDMG Cultural (rua Bernardo Guimarães, 1.600, Lourdes). Em cartaz de 11 de março a 6 de abril, diariamente (inclusive sábados, domingos e feriados), das 10h às 18h. O acesso é gratuito.

Veja algumas das obras expostas na Mostra - Fotos: Lucas Prates