Fechados durante a pandemia de Covid-19, os museus do Oratório, em Ouro Preto, e de Sant’Ana, em Tiradentes, ambos localizados na região Central de Minas, foram reabertos no último dia 10, com visitação presencial, e seguindo as diretrizes de prevenção à enfermidade (veja abaixo). 

"As equipes dos museus estão preparadas para atender presencialmente aos visitantes de forma segura para ambas as partes. Para nós, é uma alegria receber novamente o público, apresentando nosso rico acervo", afirmou Angela Gutierrez, presidente do Instituto Cultural Flávio Gutierrez. 

Segundo ela, a abertura segura dos espaços é importante para fortalecer a cultura e como opção de entretenimento e conhecimento para as pessoas. 

Os museus

O Museu do Oratório foi inaugurado em 1998 em Ouro Preto/MG, no prédio setecentista pertencente à Venerável Ordem Terceira do Carmo, que foi totalmente restaurado e adequado para abrigar o museu.

O espaço apresenta uma coleção de 162 oratórios e 300 imagens dos séculos XVII ao XX. As peças do acervo foram doadas ao IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) pela colecionadora Angela Gutierrez e são genuinamente brasileiras, principalmente de Minas Gerais.

Já o Museu de Sant’Ana está instalado na antiga Cadeia Pública da cidade de Tiradentes. O local abriga 291 imagens de Sant’Ana, a santa protetora dos lares e da família, bem como dos mineradores. São obras brasileiras, de várias regiões do país, eruditas e populares, dos mais variados estilos e técnicas, produzidas em sua maioria por artistas anônimos, entre os séculos XVII e XIX, em materiais diversos.

Os horários de visitação, bem como valor de ingresso, podem ser vistos aqui (Oratório) e aqui (Sant’Ana). 

Prevenção à Covid

Entre as regras de visitação, é preciso aguardar atendimento seguindo as marcações no solo, aplicadas na entrada principal do edifício, mantendo o distanciamento mínimo de 2 metros entre pessoas; aferimento de temperatura corporal; e higienização dos pés em tapete sanitizante. 

Além disso, é possível fazer a higienização das mãos através do dispensador de álcool em gel disponibilizados em diversas áreas do museu; uso obrigatório e correto de máscara facial durante a permanência nos espaços.

O fluxo de visitantes também está sendo controlado, segundo o instituto, sendo permitida a permanência de no máximo 20 pessoas no interior do museu; entrada e saída do circuito expositivo por acessos distintos; respeito ao distanciamento mínimo entre visitantes de 3m.

Alguns serviços estão suspensos, como uso dos banheiros e dos bebedouros; serviço de guarda-volumes; e atividades da Loja do Museu do Oratório (temporariamente).

Leia mais:
Anvisa diz que não há estudo conclusivo sobre 3ª dose de vacina contra Covid
Minas tem 619 municípios sem mortes por Covid-19 nos últimos sete dias
Mineira Jaqueline Mourão entra em contagem regressiva para a estreia em sua sétima Olímpiada