Com a mesma proposta que norteia o início de seu cortejo no Carnaval, soltando o hino assim que os primeiros raios de Sol surgem no horizonte, o bloco Então, Brilha! atravessa este momento de pandemia buscando energias para voltar às ruas de BH a pleno vapor em 2022.

O título da live que o Então, Brilha! fará neste domingo, “Outros Carnavais Verão” é a síntese deste expectativa. Um dos maiores blocos da cidade quer curtir o calor do verão, mas sem sair de casa, com a certeza de que, no próximo ano, irão “descontar tudo o que não teve neste ano”.

A frase é de Rubens Aredes, um dos vocalistas do grupo, para quem a melhor maneira de aproveitar a estação é tomar um banho de mangueira ou montar uma piscininha de plástico no quintal de casa. “Vamos louvar o verão, como fazemos no cortejo, mas com cada um na sua casa”.

Com uma versão reduzida da banda, passando de 13 para sete integrantes, como forma de evitar aglomeração, o Então, Brilha! fará um show on-line em que apresentará canções de autoria própria, além de muito axé dos anos 80 e 90, uma das marcas registradas durante o Carnaval.

Devido à impossibilidade de fazer shows, o grupo teve mais tempo para investir em canções próprias. A ideia, segundo Aredes, é lançar as músicas de forma espaçada ao longo do ano. Por enquanto, só devem trabalhar as redes sociais, sem perspectiva de reuni-las num álbum.

O Então, Brilha! não será a única atração musical. Abrindo a programação estará o cantor Di Souza, regente da bateria do bloco. A live contará ainda com sorteio de dez vales-compra de R$ 260 para uso em restaurantes e bares de BH. Em contrapartida ao apoio da Belotur, acontecerá a campanha “BH para Brilhar”, com a divulgação de pontos turísticos da cidade.

A campanha será realizada no Instagram, incentivando as pessoas a postarem fotos em lugares surpreendentes da capital mineira. As imagens selecionadas serão apresentadas durante a live. “Estamos pedindo para que não sejam fotos atuais. Mas se forem fazer (uma nova), que usem máscara”.

Aredes destaca que o Então, Brilha! não está no time dos que querem a reabertura do comércio edos eventos. “Lamentamos não ter Carnaval. Nesta época, já estaríamos trabalhando igual doidos. Mas o Carnaval é apenas um detalhe do que está acontecendo no mundo, com a pandemia”, registra.

Sem atividades, o Então, Brilha! tem pleiteado, junto a outros grupos da capital mineira, a elaboração de políticas públicas para o setor. “Fizemos uma carta para a PBH, a Belotur, as autoridades em geral e a sociedade civil, chamando a atenção para a necessidade de sentarmos e conversarmos sobre toda uma cadeia produtiva do Carnaval que ficou sem renda agora”.

Esta cadeia, ressalta, não se resume aos músicos dos blocos, envolvendo também costureiras, vendedores ambulantes e motoristas de aplicativos. “As autoridades dizem que boa parte destes profissionais foi atendida com o auxílio emergencial, mas é insuficiente. O auxílio terminou em dezembro”, assinala.