A programação online do Circuito de Arte Urbana de Belo Horizonte passa a receber, nesta segunda (28), vários debates sobre a arte contemporânea no país e no mundo. A partir do canal do evento, pesquisadores e artistas falarão sobre as narrativas da diáspora africana, indígena e periférica na arte. Empreendedores e curadores mostrarão como estão movimentando as estruturas do mercado tão elitizado de arte contemporânea.

Um dos destaques é Aílton Krenak, liderança do movimento indígena brasileiro, que participará de live na sexta-feira. Vale destacar a participação da historiadora  Preta Rara, rapper e arte-educadora, importante nome do feminismo negro brasileiro. Ela falará de hiphop sob a perspectiva da mulher, além da arte enquanto parte intrínseca à vida.

“Nesta edição sentimos que precisamos pensar a arte como expressão de vida a urgências do nosso tempo. Estamos justamente em busca de rever nossos conceitos e entender o que é arte para os diversos povos que conformam nossa nação” diz Priscila Amoni, uma das idealizadoras e curadoras do festival. “Vivemos tempos difíceis e por isso acreditamos que é preciso ouvir os saberes dos povos originários, a juventude e os ancestrais do povo negro, escutar as vozes periféricas, as mulheres em toda a sua diversidade”, completa.

PROGRAMAÇÃO VIRTUAL

Segunda-feira, 19h30

Bate Papo - Imaginar caminhos: ocupando o mercado de arte contemporânea 

Convidados: Thiago Alvim e Comum, artistas e idealizadores do JUNTA; Cristiana Tejo, curadora e uma das idealizadoras do Projeto Quarantine; Micaela Cyrino, artista visual e integrante da Nacional Trovoa. 

Mediação: Fabiola Rodrigues, MUNA - Mulheres Negras nas Artes

Terça-feira, às 19h30

Bate Papo - Transformando, ocupando e criando novas narrativas: os olhares de artistas, curadores e pesquisadores contra o colonialismo sobre suas produções

Convidadas: Nathalia Grilo Cipriano, pesquisadora de cultura e cosmovisões negro-africanas, editora da revista digital diCheiro; Ventura Profana, escritora, cantora, performer e artista visual; Sandra Benites, antropóloga, arte-educadora e curadora-adjunta do MASP – Museu de Arte de São Paulo.

Mediação: Luciara Ribeiro, educadora, pesquisadora e curadora independente.

Quarta-feira, às 19h30

Aulão – O hip-hop resiste

Com Preta Rara, rapper, historiadora, turbanista e influenciadora digital.

Quinta-feira, às 19h30

Bate Papo - Arte e Vida, Arte é Vida

Convidados: Maurinho Mukumbe, ferreiro; Ibã Hunikuin (Isaías Sales), txana, mestre dos cantos na tradição do povo huni kuin e pintor. Integra o coletivo MAHKU – Movimento dos Artistas Huni Kuin; Bordadeiras do Curtume (Vale do Jequitinhonha).

Mediação: Célia Xakriaba, professora e ativista indígena

Sexta-feira, às 19h30

Aulão - A Vida não é útil

Com Ailton Krenak, líder indígena, ambientalista e escritor brasileiro. É considerado uma das maiores lideranças do movimento indígena brasileiro, possuindo reconhecimento internacional.