Entre 1992 e 2008, os irmãos Fred e Cris concretizaram o sonho de rodar por Minas Gerais e pelo país levando com eles o amor de subir aos palcos para proliferar a música sertaneja. Depois disso, passaram a se dedicar à família, o que significou também uma pausa nas atividades. Nem por isso, deixaram sua arte de lado, e o cancioneiro deles se configurava como o embalo de seus fins de semana.

Agora neste período de isolamento social, a paixão musical voltou a florescer de forma mais intensa, e a dupla arquitetou seu retorno aos microfones. Nesta quinta-feira, a partir das 20h, os dois farão uma live beneficente em seu canal no YouTube. A apresentação conta com o apoio do jornal Hoje em Dia.

“Eu falava com meu irmão para cantarmos uma música, então fizemos uma mini live, e o Rubens, um amigo meu que filmou meu casamento, nos ajudou. Fizemos uma live super modesta, e contamos com o Serginho Saraiva, sanfoneiro. Foi uma live de solidariedade, em que apoiamos a organização Fraternidade Sem Fronteiras. Por meio dela, conseguimos arrecadar R$ 26 mil para esta instituição. Foi muito legal”, relata Fred, ressaltando que ali, naquela transmissão, foi plantada uma “semente”.

Dupla

“Falamos então em fazer uma segunda live, que é esta da próxima quinta-feira. Muita gente nos incentivou. A música sempre nos alimentou, e nunca paramos de cantar. O Serginho vai estar presente novamente. Estamos optando, claro, por fazer algo restrito, por conta do isolamento, respeitando todas as regras de segurança e higienização. Será uma live com a nossa cara. E desta vez vamos ajudar a instituição MPS Minas Gerais”, comenta.

História

Fred nasceu em Belo Horizonte, em 1976, e Cris, em Brasília, quatro anos depois. No início de trajetória da dupla, o mais velho dava alguns conselhos ao caçula, que, em pouco tempo, passou a “voar”, segundo conta o irmão. “O Cris é um músico incrível, de talento absurdo. No começo, contribuí muito para sua formação musical, mas depois rolou aquela coisa do ‘aluno que ultrapassa e muito o professor (risos)’”, admite Fred.

Além de gravarem discos, os dois parceiros integraram bandas de artistas consagrados. “O Zezé (di Camargo) me convidou para ser backing vocal da banda dele, e meu irmão foi ser backing da Wanessa. O Zezé é um cara genial, um grande artista da música. Foi um período em que aprendi muito, só tinha músico fera rodei pelo Brasil e conheci profissionais muito talentosos. Nosso país é cheio de músicos incríveis. Foi um tempo que me trouxe muita experiência e credibilidade”, recorda o irmão mais velho.

Futuro

Depois da live, os dois continuarão compondo e visando a um projeto ambicioso, que inclui a gravação de mais material e uma celebração: “Faremos 30 anos de história em 2022, são 30 anos de música, de batalha. E queremos gravar um DVD com todos os nossos amigos da música, como o Zezé di Camargo, o Daniel, o Leonardo, a Wanessa e a dupla Lucas & Felipe, do Rio Grande do Sul. Queremos conciliar nossa vida pessoal e musical, mantendo uma agenda até 2022, ano em que virá essa comemoração”.