O Cine Humberto Mauro apresenta, a partir desta quinta-feira (27), um recorte de filmes dirigidos por mulheres de diversas épocas e países. A curadoria se pautou por uma seleção de obras reconhecidas como clássicas da história do cinema mundial, abrangendo, também, trabalhos mais recentes que têm ganhado atenção da crítica internacional. 

A programação contempla diretoras como Chantal Akerman (“Jeanne Dielman”), Ida Lupino (“O Mundo é o Culpado”), Marguerite Duras (“Le Navire Night”), Jane Campion (“O Piano”), Sofia Coppola (“Encontros e Desencontros”), Ava DuVernay (“Selma – Uma Luta pela Liberdade”), entre outras. 

Até meados dos anos 1920, a presença de mulheres nos cargos de autoria narrativa e direção era bastante significativa, sendo considerada equivalente à dos homens. Quando o cinema estadunidense passa a ser e a representar um negócio lucrativo, que culminou com o sistema de produção industrial próximo do que conhecemos hoje, as mulheres foram excluídas dos lugares de criação e comando.

Dorothy Arzner, uma das poucas artistas que sobreviveram a esta transição, marca presença na mostra com o filme “A Vida é uma Dança” (1940), que demonstra a sua enorme capacidade em abordar assuntos polêmicos, como traição e desejo feminino.

Já nos anos 50, a curadoria destaca “O Mundo é o Culpado” (1950), de Ida Lupino, primeira mulher a dirigir um filme noir e a segunda a ser filiada ao Sindicato de Diretores de Hollywood. O estilo de Ida Lupino é marcado por seu rigor formal e por realizar uma apropriação particular do gênero noir. 

No contexto brasileiro, a mostra destaca a carreira de Gilda de Abreu, que roteirizou e dirigiu “O Ébrio” (1946), uma das maiores bilheterias do cinema brasileiro, baseado na canção homônima do seu então marido Vicente Celestino. Infelizmente, assim como várias outras diretoras, a carreira de Gilda Abreu enfrentou diversos percalços, o que culminou no fato de não ter conseguido emplacar nenhum outro sucesso comercial.

Serviço

Mostra Clássicas – De hoje até 12 de março, no Cine Humberto Mauro (Avenida Afonso Pena, 1537). Entrada franca. Veja a programação mais detalhada aqui.