Em show nostálgico em Belo Horizonte, com clássicos de todas as fases dos irmãos Sandy e Junior, milhares de fãs cantaram, pularam e rebolaram na esplanada do Mineirão na noite deste sábado (17). A vinda à capital mineira faz parte da turnê "Nossa História", em comemoração aos 30 anos da primeira aparição dos filhos de Xororó em rede nacional, e já passou por outras quatro cidades.

Previsto para começar às 20h30, a apresentação atrasou e o público teve que lidar com 45 minutos de espera. Mas receberam, como "brinde", vídeos da infância de Sandy e Junior intercalados com uma contagem regressiva. Momentos íntimos dos dois na sala de casa encheram de lágrimas fãs que já se preparavam para o show. A demora, no entanto, fez com que alguns vaiassem, mesmo que por alguns minutos. 

Às 21h16, os irmãos surgiram no palco e cantaram afinados o hit "Não dá pra não pensar". Câmeras, lanternas e, sobretudo, vozerio afinado, acompanharam os versos da canção. Sandy agradeceu, de imediato, o carinho recebido pelo público mineiro. "Não imaginávamos que realizaríamos esse sonho tão especial. Estamos curtindo o momento. Por isso, queremos agradecer, porque vocês nos proporcionam isso. Esse show só acontece por vocês", declarou. 

Marcante

Depois de emocionar, novamente, os milhares de fãs com "Olha o que amor me faz", a artista explicou a motivação da turnê. "É uma oportunidade de reviver e recontar a nossa vida e a nossa história. Além disso, construir novas lembranças. Sair daqui e dizer: vivemos isso juntos". O irmão completou: "Sensacional".

No show, a plateia ainda relembrou a fase em que os irmãos participaram da telenovela "Estrela-Guia", de 2001. Um chat animado entre os personagens antecipou uma sequência de músicas que faziam parte da trilha sonora do folhetim e dos álbuns publicados na época. "Eu acho que pirei", "Beijo bom", "Etc... E tal" e “Dig-Dig-Joy” foram algumas das tocadas e acompanhadas por passos de dança bem marcados. 

Lembranças

Os momentos mais memoráveis – e esperados – pelos milhares que observavam atentamente o iluminado e chamativo palco ficaram mais para o fim. Isso porque “A Lenda” e “Quando você passa”, conhecida por muitos como “Turu Turu”, estavam mais para o final do setlist.  Essas são algumas das preferidas pelas primas Nina de Castro, de 27 anos, e Clara Vaz de Mello, de 24, que se lembram de quando assistiram juntas, no Mineirinho, os ídolos. 

“Poder reviver momentos da infância com amigas de uma vida inteira é muito importante”, afirma Nina, destacando a boa estrutura do evento e a qualidade do telão. Clara, inclusive, classificou como uma das melhores partes do show o hit “Vamo pula!”. “Ver todo mundo pulando junto foi bonito demais”.  

De fora

O show na esplanada do Mineirão recebeu, também, fãs de outros estados. Caso da auxiliar administrativa Loraina Block, de 25 anos, que viajou 12 horas de ônibus de São José do Rio Preto, em São Paulo, para curtir aqui na capital mineira. “Ganhei de uma amiga e acabei decidindo tudo nessa quinta-feira. E faria tudo de novo”, garante Loraina, que se disse realizada com o momento. “Eu nunca havia ido a um show dos dois. Agora, realizei um sonho de menina. Lembro que curava minhas ‘bads’ ouvindo ‘A Lenda’”, brinca.